Nasdaq e Meta ampliam parceria com AWS


Nasdaq. Crédito: Freepik
Crédito: Freepik

A Amazon Web Services (AWS) anunciou expansões em sua parcerias com a bolsa de valores Nasdaq e a Meta, antigo Facebook. Ambas organizações irão aumentar a integração entre seus data centers e a nuvem da Amazon.

A migração da Nasdaq para a nuvem terá início em 2022. A Nasdaq e a AWS estão projetando em conjunto um produto de edge computing dedicado ao mercado de ações. O AWS Outposts, que oferece instalação no local do cliente, será incorporado de forma direta à rede principal da Nasdaq. O objetivo é viabilizar capacidades computacionais de baixa latência partindo do primeiro data center principal da bolsa em Nova Jersey.

PUBLICIDADE

Com o tempo, a Nasdaq pretende mover mais mercados na América do Norte para a nuvem. Essa infraestrutura híbrida forneceria à Nasdaq acesso de baixa latência aos seus sistemas locais para garantir recursos de negociação de alta frequência.

A bolsa de valores já utilizava o software da AWS há uma década. “Nossa parceria fornecerá a Nasdaq uma forma de mover de forma mais fácil sus infraestrutura central para a nuvem e inovar novos serviços enquanto eles continuam sua segunda década de adoção cloud”, comentou o CEO da Amazon, Adam Selipsky.

A parceria também irá explorar formas de aprimorar as capacidades da nuvem da AWS em aplicações da Nasdaq, como crimes anti-financeiros, dados e analytics, soluções de software de infraestrutura de mercado.

O negócio com a meta envolve a otimização do Pytorch, uma livraria de programação para serviços de machine learning. As empresas querem desenvolver modelos de linguagem natural e visão de computadores com deep-learning em larga escala.

As plataformas da Meta também utilizarão serviços da AWS para colaborar com parceiros e oferecer suporte a aquisições de companhias que já o serviço do provedor de nuvem.

AWS em rede privativa

Nesta semana, a empresa também anunciou que um novo serviço de gerenciamento de redes privadas para empresas, o AWS Private 5G. Ao oferecer o serviço, a AWS se compromete a entregar e manter as unidades de rádio small cells, servidores, núcleo 5G, software de RAN e cartões SIM.  Os clientes pagam pela capacidade de rede e rendimento que desejam, e não pelo número de dispositivos conectados. Por enquanto o AWS Private 5G está disponível apenas nos Estados Unidos. (Com assessoria de imprensa e agências internacionais)

PUBLICIDADE
Anterior Caso Oi será um dos maiores julgamentos do Cade no próximo ano, avalia Gustavo Lima
Próximos 40% das maiores empresas latino-americanas terão governança em nuvem, em 2023