Não há limites para uso de IA no campo, dizem debatedores


Não há limites para o uso de Inteligência Artificial no campo, mas é preciso focar nas dificuldades de cada produtor para desenvolver soluções que efetivamente atendam as expectativas. Esse foi o tema da live do Agrotic 2021, realizada nesta quarta-feira, 5. Segundo o gerente de Produtos da Oi Soluções, Valter Wolf, o uso de IA é necessário quando não há dados desestruturados. “Diferenciar uma erva daninha de uma planta de soja por imagem pode ser ensinada a uma máquina, assim como treiná-la para tomar uma decisão autônoma”, disse. 

-É uma ferramenta muito poderosa, é possível ensinar um robô a colher os melhores frutos, funcionando como os braços da inteligência artificial”, observa. De acordo com Wolf, superando a barreira da falta de conectividade, com uso de redes do tipo Lora, por exemplo, é possível gerar essa decisão autônoma das máquinas. Ele cita que a pulverização de agrotóxico apenas na erva daninha já mostrou redução de custos da ordem, de 90%. 

PUBLICIDADE

-Na agricultura de precisão, com informações a gente passa para um estágio de conhecimento e aí entra a questão da previsibilidade, da prescrição, dos processos de negócios, desde a cadeia de suprimentos, campo, logística e comercialização no mercado global onde os preços mudam a toda hora é que se chega à inteligência artificial, à agricultura de decisão”, resume o gerente de Consultoria da Logicalis, Vitor Knop. O resultado é a agilização do processo decisório em todos os níveis, disse. 

Knop afirma que é preciso juntar a tecnologia com o agro, mas a dificuldade é que os dois mundos têm tempos diferentes. “Nosso desafio é este”, disse. 

Soluções específicas 

Para o Innovation and Digital Transformation Sales Development Leader do SAS, Igor Dsiadukic é preciso entender o ciclo de vida de venda e quando o produtor vai começar a usar uma tecnologia e, por isso, diz, é necessário desenvolver soluções específicas e não genéricas.  A entrada do 5G também vai mudar todo o cenário, assim como o plano de IoT promovido pelo governo vão ajudar a superar as barreiras, afirma Dsiaducki.

 “Qualquer coisa que a gente consiga sonhar a gente pode colocar a máquina para fazer. Só é preciso tempo para gerar esse algoritmo e juntar mentes que entendam do negócio”, afirma o consultor de Tecnologia da ESALQtec, Marcos Scalabrin, moderador do debate. 

Agrotic 2021 é promovido pela Tele.Síntese em parceria com a ESALQtec e terá continuidade nesta quinta-feira, 6. Veja aqui a programação. 

Anterior Bolsonaro prepara decreto para regulamentar o Marco Civil da Internet
Próximos TIM vai comprar usinas produtoras de energia limpa