MWC: Venda bilionária do WhatsApp fortalece defesa de datacenter no Brasil, afirma ministro.


Barcelona – Embora o Ministério da Justiça e o Palácio do Planalto tenham jogado a toalha e desistido de obrigar a manutenção de data centers no país no projeto do Marco Civil da internet, que deve voltar à pauta de votação após o carnaval, o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, vai continuar a trabalhar  em defesa de sua tese. Para ele, a recente aquisição do WhatsApp por US$ 19 bilhões demonstra que a  base de dados com os clientes é o bem mais valioso. “O big data (tecnologia de leitura de grandes quantidades de dados) vai ditar a economia do futuro. E os países não podem abrir mão disso”, afirmou.

 

PUBLICIDADE

Bernardo disse que vai continuar a trabalhar para que os datacenters sejam instalados no Brasil. “Não dá para perder de véspera”, completou.

Mandato

O ministro negou os rumores que circulam no mercado de que ele deixaria o ministério para disputar uma vaga na Câmara dos Deputados ou de que iria para a coordenação da campanha de Dilma Rousseff. Ele afirmou que continuará conduzindo a pasta, até “quando a presidenta quiser”. 

A jornalista viaja a convite da Alcatel-Lucent

PUBLICIDADE
Anterior MWC - Bernardo avisa: Google não pode tratar os países como paraísos fiscais
Próximos MWC- Governo diz que mercado vai definir preço da faixa de 700 MHz