Muito mais Encontros Tele.Síntese. Todos digitais.


Depois das Lives sobre 5G, a retomada dos debates começa no dia 19 de junho, com Diogo Mac Cord de Faria – Secretário de Desenvolvimento de Infraestrutura do Ministério da Economia; Vinicius Oliveira Caram Guimarães – Superintendente de Outorgas e Recursos à Prestação; e Luiz Alexandre Garcia, presidente do conselho da holding Algar e do Sinditelebrasil para o debate sobre a Renovação das Frequências

O portal Tele.Síntese alterou a programação de seus eventos e a forma de realizá-los esse ano. Serão todos pela internet, e não mais presenciais. A decisão da redação partiu da avaliação de que o desenrolar da pandemia do coronavírus no Brasil impede uma previsão de quando poderão ser retomados os eventos presencias de forma segura para os palestrantes e público.

Assim, os Encontros Tele.Síntese já estão com uma programação repleta de bons debates até o mês de Novembro. O Inovatic de Pernambuco, previsto para 26 e 27 de novembro é o único que está mantido sob a forma presencial, por enquanto.

PUBLICIDADE

Entre os eventos de junho, dois já estão com  personalidades confirmadas. Entre eles, o do dia 19 de junho, que irá debater a Renovação de Frequências de celular. Participam das lives: Diogo Mac Cord de Faria – Secretário de Desenvolvimento de Infraestrutura do Ministério da Economia; Vinicius Oliveira Caram Guimarães – Superintendente de Outorgas e Recursos à Prestação; e Luiz Alexandre Garcia, presidente do conselho da holding Algar e do Sinditelebrasil.

No dia 22 de junho, o debate será sobre as mudanças no relacionamento digital das operadoras e empresas de internet. Confirmados Fábio Abreu – Ceo Sumicity; Fabiano Ferreira – Ceo da Vero Internet; e Elisa Leonel – Superintendente de Relações com os Consumidores.

A seguir os temas dos debates, que serão realizados às segundas e sextas-feiras, sempre às 14h30min:

Junho:

 Renovação de Frequência. Impactos da não efetividade da Lei 13.879, de outubro de 2019.

 Vamos debater com o setor, o governo e a Anatel a regulamentação da Lei 13.879/12 no que se refere à renovação automática das outorgas do espectro radioelétrico e seus impactos na segurança jurídica.

  • Relacionamento Digital. As mudanças entre consumidores e operadoras provocadas pelo isolamento social.

 O objetivo aqui é fazer uma radiografia das ofertas digitais de atendimento e de serviços das operadoras de telecomunicações e de como forma foram assimiladas pelos consumidores durante o período de crise sanitária. A aceleração da implementação desses serviços trouxe quais ganhos para o consumidor e para a sociedade?

– Expansão das Redes e câmbio sobrevalorizado. Alternativas?

A intenção aqui é avaliar se o câmbio sobrevalorizado começa a afetar as projeções de expansão das redes de telecomunicações, e quais são as alternativas existentes. Vamos abordar também os esforços e os planos de diferentes fabricantes e revendedores para criar planos de financiamentos atrativos para os operadores de telecomunicações de todos os tamanhos.

Julho:

– Equilíbrio econômico da concessão, saldo PGMU e bens reversíveis

 O prazo para que as concessionárias de telefonia fixa decidam se migrarão para o regime privado de serviço é de seis meses. Há questões importantes que precisam de interlocução entre os agentes privados e o Estado. Essa live pretende tratar dessas questões com diferentes stakeholders.

– Segurança Digital das corporações no novo cenário

A aceleração da digitalização das corporações públicas e privadas gerada pela atual crise sanitária provocou também aumento nos riscos cibernéticos. Vamos tratar sobre esses riscos e as soluções sugeridas pelas empresas de serviços e de TICs.

– Segurança da internet versus pirataria

 Aqui, o foco serão os riscos cibernéticos gerados por ataques aos sites, redes sociais e uso de equipamentos de pirataria para o acesso clandestino aos canais de TV. Como os pequenos operadores e o público em geral podem se prevenir?

Agosto:

– Dinheiro Digital. O que mudou?

 Serão debatidas as novas medidas do Banco Central para a abertura do mercado bancário nacional e as iniciativas das operadoras e fintechs nesse mercado.

– Semana Agrotic

 Setembro:

 – Os novos hábitos de consumo da internet vieram para ficar?

 O isolamento social aumentou o consumo de dados e mudou o tráfego e as redes de telecomunicações brasileiras mantiveram-se estáveis. Qual a avaliação das operadoras sobre essas mudanças? Elas serão mantidas? O que pode mudar na oferta de serviços? E na estabilidade das redes?

– Autorregulação e consumidor

As grandes operadoras de telecomunicações estão construindo códigos de conduta que implica uma série de compromissos no atendimento ao consumidor. Ao mesmo tempo,

está prevista a publicação de um novo regulamento geral de direitos dos consumidores de telecom. A webconferência irá tratar da autorregulação, da visão da anatel sobre o tema e da posição dos institutos de defesa do consumidor.

– Os fundos setoriais e a internet para baixa renda

 Vencido o prazo do diferimento do Fistel, importantes questões para a universalização da internet em banda larga precisam ser retomadas, principalmente para reduzir as desigualdades digitais da sociedade brasileira. O uso dos fundos setoriais para financiar o acesso de famílias de baixa renda é mais do que urgente.

Outubro:

– Concentração e competição no mercado de telecom brasileiro

 A webconferência irá tratar com a participação de diferentes agentes às questões relacionadas à concentrações versus competição no mercado das grandes empresas, e também no movimento de concentração dos ISPs. E o surgimento de outros competidores, como empresas de energia, de torres, etc.

– As medidas de prevenção e o novo trabalho. O que será mantido? Um balanço

 O Objetivo dessa Webconferência é reunir executivos de diferentes segmentos econômicos além das telecomunicações, para fazer um balanço sobre as medidas adotadas durante a pandemia – home office, capacitação on line, contratação digital, etc.,

  • Frequências para a indústria e para o prestador de telecom

 O debate aqui será sobre as frequências de 5G e avaliação sobre os principais players e novos entrantes na prestação de serviços de telecom.

Novembro:

 – O que o setor espera para 2021

 Projeções sobre tendências, negócios e políticas públicas para 2021

– IoT – Como viabilizá-la no Brasil

 A Internet das Coisas, para deslanchar no Brasil, precisa de quais estímulos?

– 5G. De que forma? Quando?

 chegado o momento de definição sobre esse tema? Questões como o preço mínimo, o ressarcimento e as obrigações serão tratadas aqui.

  • Devido à dinâmica do setor poderão ser alterados ou acrescentados novos temas.

ANUÁRIO INOVAÇÃO TELE.SÍNTESE – DEZEMBRO

O Anuário Inovação Tele.Síntese, em sua NONA edição, irá premiar os mais inovadores produtos e serviços do setor em DEZEMBRO. Em breve,  formulários começarão a ser enviados.

Haverá também uma PREMIAÇÃO ESPECIAL para as ações do segmento de tecnologia da informação, internet e telecomunicações para o enfrentamento do Covid-19.

 

 

 

 

 

Anterior Semeghini: decreto vai autorizar renovação de frequências, mas não de forma automática
Próximos Senadores apelam a Bolsonaro para não vetar PL de socorro à cultura