Motorola Solutions quer reserva de espectro para redes privadas no leilão da 5G


O presidente da Motorola Solutions Brasil, Elton Borgonovo, afirmou hoje, 5, que a empresa deverá contribuir com a consulta pública do leilão da 5G destacando a necessidade de o certame prever reserva de espectro para redes privadas. Segundo ele, é importante que o edital repita modelo semelhante ao executado no certame dos 700 MHz, em que bloco de 5+5 MHz ficou reservado para defesa, segurança e serviços de missão crítica.

“A Anatel está com as consultas lançadas, e a Motorola tem contribuído no sentido de se ter também espectro para redes privadas. Entendemos que é preciso ter uma faixa para redes privadas em 5G. É interessante, como está sendo hoje no 4G”, disse em conversa com jornalistas realizada em São Paulo.

PUBLICIDADE

Atualmente, a Motorola Solutions Brasil fornece sistemas de radiocomunicação e de dados em redes privadas para Forças Armadas, órgãos de segurança pública e empresas privadas. Com o 5G, abre-se a possibilidade de ampliar a efetividade de alguns serviços de dados, explicou.

“Em videomonitoramento, já é possível usar o 4G. Com uma rede 5G, com capacidade maior, será possível ter mais usuários transmitindo numa mesma área ao mesmo tempo”, exemplificou.

Para ele, mesmo com a separação de uma faixa de espectro para redes 5G, dificilmente o rádio digital comum será totalmente substituído por equipamentos baseados apenas em dados. “No país, nenhuma força usa LTE no estado inteiro. Não acreditamos que seja possível haver essa substituição do rádio por rede de dados”, afirmou.

Segundo ele, hoje o LTE é usado no Brasil pela Polícia da Paraíba, que tem uma estação móvel acionada conforme a necessidade. O rádio segue como principal ferramenta de comunicação das equipes de segurança, e vem ganhando novas funcionalidades, como acesso a bancos de dados por comando de voz.

Acordo de colaboração militar

O executivo afirmou ainda que a assinatura de um acordo entre Brasil e Estados Unidos para a colaboração no desenvolvimento de tecnologias militares – e que deverá contar com um fundo de US$ 96 bilhões – tende a ser benéfico para a Motorola Solutions Brasil, uma vez que promove a abertura dos mercados no segmento de defesa.

O acordo, que começou a ser costurado em 2017 ainda na gestão Temer, deve ser assinado na próxima semana durante visita de Bolsonaro aos Estados Unidos. Depois, terá de ser referendado pelo parlamento de ambos os países para passar a valer.

“Como somos uma empresa de defesa, temos um produto de usado pelo Exército brasileiro, acho que esse acordo pode trazer resultados positivos, sim”, avalia.

Novo produto

Borgonovo lançou, no evento, uma solução de videomonitoramento e reconhecimento automático de placas de veículos, batizado de ALPR, que foi incorporado à solução Watchguard 4RE. O sistema poderá ser acessado diretamente de viaturas policiais, por exemplo, uma vez que foi pensado para abordagens realizadas no trânsito.

Anterior Pontes promete reinstituir e melhorar fundos de telecom, se forem extintos por PEC
Próximos Anatel multa presidente da Transit por fraude com tráfego de telecom