Motorola renova linha de smartphones de entrada no Brasil


Menos de um mês após renovar a linha Z, com lançamento mundial primeiro no Brasil do Z2 Play, a Motorola volta a anunciar novos celulares. Dessa vez, lançou na noite de ontem, 21, em São Paulo, sua nova família de smartphones de entrada. Os aparelhos anunciados são versões atualizadas de modelos que fizeram sucesso no passado recente no mercado nacional – e agora voltam com algums aperfeiçoamentos, mantendo o preço competitivo. Foram lançados três aparelhos: Moto C Plus, Moto E4 e Moto E4 Plus.

O Moto C Plus roda o Android 7.0
O Moto C Plus roda o Android 7.0

O Moto C Plus tem como diferencial a bateria de 4.000 mAh, que segundo a empresa o faz atravessar o dia inteiro com uso ininterrupto. Ele tem uma tela HD de 5 polegadas, processador Mediatek quad-core, 8 GB de armazenamento, aceita cartões microSD de até 32 GB, e roda o Android 7.0. Tem, ainda, 1 GB de RAM, TV digital, função dual-chip, câmera com flash frontal, câmera traseira de 8 MP com tem flash e tecnologia HDR. Chega às lojas ainda este mês, nas cores dourado e preto, por R$ 699.

PUBLICIDADE

Um pouco mais caro, vem o Moto E4. Tem a mesma tela que o C Plus, mas traz um sensor biométrico (leitor de impressões digitais), processador quad-core, 2 GB de RAM e armazenamento de 16 GB. A bateria é de 2.800 mAh. A câmera de 8 MP possui autofoco, já a dianteira tem flash frontal e resolução de 5 MP. O acabamento é superior ao do C Plus, pois é feito em metal. Custa R$ 849.

Enquanto o Moto E4 e o E4 Plus (acima) roda o Android 7.1
Enquanto o Moto E4 e o E4 Plus (acima) roda o Android 7.1

Já o Moto E4 Plus tem características semelhanres que o E4, mas traz tela e bateria maiores, além de um acabamento também mais trabalhado, em alumínio. A tela mede 5,5 polegadas, e a bateria tem carga de 5.000 mAh. Também tem o sensor de impressão digital. A câmera tem maior resolução (13 MP), autofoco, e mesma câmera frontal. Traz processador quad-core, 2 GB de RAM e armazenamento de 16 GB, também rodando o Android 7.1, como o E4. Custa R$ 949.

PUBLICIDADE
Anterior Anatel não vai mais exigir outorga de banda larga para empresas com até cinco mil usuários
Próximos América Latina precisa investir US$ 300 bilhões para universalizar a banda larga