Minoritários e conselheiros da Oi batem forte no comunicado da Anatel


TeleSintese-Reuniao-ideias-bate-bapo-conversa-mesa-planos-apresentacao-Fotolia_112785194

O presidente da Associação dos Investidores Minoritários do Brasil, Aurélio Valporto, acha que a nota divulgada ontem à noite pela Anatel, comunicando que foi pedida a abertura de processo de cassação das licenças da Oi, pode colocar em risco a negociação com os credores. “Justamente em um momento em que a empresa vem melhorando seus indicadores, é inadmissível que vaidades pessoais prejudiquem, no final das contas, a economia nacional”, disse ele ao Tele.Síntese.

Para Valporto, a CVM deveria investigar as razões do comunicado divulgado ontem pela Anatel, “visto que provoca grandes oscilações na cotação das ações”, acusou.

Conselho Oi

Já para diferentes conselheiros da Oi (que representam os atuais controladores), o anúncio do pedido feito pelo dirigente da Anatel,  Igor de Freitas, “é obra de alguém que deixará a agência em um mês e foi divulgado de forma bastante singular, com o anúncio da ideia. Não se fez isso em qualquer outro caso, inclusive a Sercomtel”, disse um executivo.

Para esse interlocutor, “o conselheiro afronta não só a companhia e seus acionistas minoritários – os dois lados que mais perdem com a iniciativa -, mas também e sobretudo o processo de recuperação judicial”.

Outra fonte do conselho alega que essa ação da Anatel parece mesmo retaliação (negada pelo presidente Juarez Quadros), porque ela ocorre na semana em que a agência sofreu uma derrota no Tribunal de Justiça do Rio (quando o colegiado decidiu mandar parar as execuções fiscais das multas).

Anterior Cade não vê problema concorrencial com o zero rating e encerra investigação
Próximos Desabafo da Anatel não se justifica, afirma InternetSul