Ministério da Agricultura vai lançar cartilha sobre LGPD para distribuir a produtores


Isabel Regina Roxo, Secretaria da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva de Oleaginosas e Biodiesel

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento vai criar uma cartilha para orientar produtores rurais a respeito da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD). Isabel Regina Roxo, Secretária da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva de Oleaginosas e Biodiesel do Ministério da Agricultura anunciou a iniciativa nesta segunda-feira, 3, no evento digital AGROtic 2021, organizado pelo Tele.Síntese em parceria com a ESALQtec.

“Conectividade no meio rural, a falta dela, na verdade, é um grande problema. O assunto é prioridade no Ministério”, acrescentou Isabel. Ela apontou investimentos da pasta no digital. “Estamos trazendo Inteligência Artificial e tudo que possa agregar valor, promovendo o empreendedorismo. Temos 14 projetos”, afirmou.

Outras iniciativas dependem de parcerias para se concretizarem. Como aquelas voltadas à “monitorização do campo por satélite”, exemplificou.

PUBLICIDADE

Testes de campo

Ela disse que o MAPA tem dois assentamentos digitais pilotos – um no Maranhão, outro no Mato Grosso do Sul  – e que vai instalar assentamentos em outros oito Estados, em parceria com o Ministério das Comunicações.

A representante do Ministério da Agricultura falou ainda sobre outras ações da pasta para o setor. “Criamos a Secretaria de Inovação, e o nome já diz: ações que tragam inovações para a agricultura. A ideia é unir elementos para orientar melhor nossas ações. Há um horizonte que prevê sustentabilidade, segurança alimentar e foco na sociedade.”

Segurança alimentar é outro foco do ministério. “Quando falamos  em segurança alimentar falamos em eficiência. Segurança do alimento significa captura de valores. E isso gera aumento de emprego, riqueza, qualidade de vida”, apontou ela.

Visão estratégica 

Também participante da live de abertura da Agrotic 2021, Silvia Massruhá, Chefe-Geral da Embrapa Informática Agropecuária, destaca a importância dessa visão estratégica do Ministério da Agricultura.

“O ministério incentiva produtores a investir em um monitoramento melhor de sua produção, ou seja, na inovação. Também quer o Brasil como protagonista da segurança alimentar no mundo. Hoje, o consumidor está muito mais preocupado com a segurança do alimento, que provoca isso. Então tem que garantir sustentabilidade ao mesmo tempo que mostre inovação no campo”, disse Silvia.

Silvia Massruhá, Chefe-Geral da Embrapa Informática Agropecuária

Ela acrescentou que, atualmente, a ideia é investir em todos os tipos de tecnologia. “Mas o desafio é a convergência tecnológica de tudo isso. Irrigação inteligente e pulverização de precisão, por exemplo, reduzem custos e geram preservação ambiental”.

Massruhá também falou sobre o que chama de corredor tecnológico. “Como podemos integrar melhor os ecossistemas? Em um corredor de Campinas a Ribeirão Preto, por exemplo, trabalhando de forma sinérgica. Cada cidade tem especialidade em um ponto: uma é mais no agro em si, outra em tecnologia. O desafio é conectar todas. Se der certo, pode virar referência para outras regiões. Esse trabalho integrado já mostrou ótimos resultados em países como a Inglaterra.”

O evento

AGROtic 2021 é  um congresso virtual promovido pelo portal Tele.Síntese e a ESALQtec. O evento reúne, de 3 a 6 de maio, os mais importantes especialistas para debater as tecnologias para a produtividade e conectividade do campo. O congresso virtual  pode ser acessado gratuitamente aqui.

Anterior Abrint retoma campanha de atualização de municípios com backhaul óptico
Próximos Fiagro mobiliza parlamentares pela derrubada dos vetos presidenciais