Mercado mundial de tablets encolhe mais 12%


O Surface Pro 4, é mais tablet que notebook
O Surface Pro 4, é mais tablet que notebook

O mercado mundial de tablets continuou a encolher no segundo trimestre do ano, conforme dados reunidos pela consultoria IDC. Segundo a empresa de pesquisa de mercado, houve uma retração de 12,3% nas remessas dos fabricantes, na comparação com o mesmo período do ano passado. Ao todo, foram distribuídos 38,7 milhões de aparelhos.

PUBLICIDADE

A maioria dos dispositivos eram Android (65%). O iOS representou 26% das unidades, enquanto o restante era Windows. Mas o cenário tende a mudar, conforma a visão da IDC, em função do crescimento da demanda pelos tablets destacáveis, de uso profissional. O segmento, ao contrário do mercado total, apresentou expansão no período, liderado pela Microsoft e seu Surface Pro.

“No entanto, nos próximos 12 a 18 meses, veremos lançamentos interessantes com a nova versão do Android, mais apta ao multi-tasking e à medida que o Google começa a convergir seus dois sistemas operacionais”, diz Jitesh Ubrani, analista sênior da IDC. Além do Android, o Google tem o ChromeOS, sistema operacional usado em notebooks de baixo custo.

O ranking dos maiores fabricantes de tablets coloca a Apple em primeiro lugar, com 10 milhões de unidades vendidas no segundo trimestre, 9,2% menos que um ano antes. Depois vem a Samsung, com 6 milhões de unidades, retração de 24,5%. Lenovo, a terceira colocada, cresceu 3,1%, vendendo 2,5 milhões de tablets. A Huawei vendeu 71% mais, somando 2,2 milhões de aparelhos. Já a Amazon, com política agressiva de preços e venda de pacotes com vários tablets, cresceu 1.208%, atingindo volume de 1,6 milhão de unidades. Outras marcas somadas venderam 16,4 milhões, encolhendo 22,9%. Ainda assim têm o equivalente a 42,4% de market share.

 

 

Anterior Finep não tem recursos para novos projetos, reclama Kassab
Próximos América Móvil reavalia oferta de zero-rating no Brasil