Mercado de PCs encolhe 20% no 1º tri


O mercado de PCs continua em queda no país. Entre janeiro e março foram comercializados 1,964 milhão de PCs, ou, 20% menos do que no mesmo período do ano passado, quando foram vendidas 2,4 milhões de unidades. Em 2014, o mercado já havia retraído em 26% na comparação com o ano anterior e respondido por vendas de 10,3 milhões de computadores. Os dados fazem parte do estudo Brazil PCs Tracker Q1, da IDC Brasil, consultoria em tecnologia da informação e telecomunicações.

Do total de equipamentos comercializados no primeiro trimestre de 2015, 804 mil foram desktops (queda de 21% frente ao mesmo período de 2014) e 1,16 milhão foram notebooks (queda de 19% na comparação com o primeiro trimestre do ano passado). Além disso, 32% representam vendas para o mercado corporativo e 68% para o consumidor final.

O resultado não está de acordo com as expectativas da IDC Brasil, que esperava um número maior de vendas no período. “Esse começo de ano foi muito turbulento e isso impactou diversos setores da economia. Os escândalos de corrupção, a diminuição do crédito e a alta do dólar esfriaram o mercado e foram determinantes para este resultado”, afirma Pedro Hagge, analista de pesquisas da IDC Brasil.

PUBLICIDADE

Segundo ele, a confiança da indústria e do consumidor foi prejudicada e há uma cautela muito grande em relação a investimentos. Além disso, houve um reajuste de cerca de 15% a 20% nos preços dos computadores, o que impactou ainda mais nas vendas. “O mau desempenho do quarto trimestre do ano passado e a opção por outros dispositivos, como smartphones, também influenciaram para o resultado de vendas de PCs no primeiro trimestre desse ano”, completa o analista da IDC.

O estudo revela, também, que o ticket médio dos aparelhos comercializados no 1º trimestre de 2015 ficou em torno de R$ 2.320 para notebooks e R$ 1.701 para desktops. (Com assessoria de imprensa)

Anterior Bittar quer turbinar a área comercial da Telebras
Próximos À CVM, Oi explica que centrais de atendimento estão à venda desde 2012