Mercado brasileiro de software movimentou US$ 8,25 bi em 2020, diz IDC


O mercado brasileiro de software movimentou US$ 8,15 bilhões em 2020, um aumento de 30% em relação ao ano passado, considerando a moeda local e a alta do dólar. Os dados pertencem à consultoria IDC Brasil. Eles incluem vendas de software para infraestrutura de TI, gerenciamento de dados, endpoint, rede, CRM, ERM, SCM, ferramentas colaborativas e de inteligência artificial.

PUBLICIDADE

De acordo com o levantamento, o motivo do amplo crescimento foi o novo coronavírus, que trouxe a modernização como condição para o crescimento dos negócios. “Entre essas soluções, algumas se destacaram como alavancas de crescimento, como soluções de segurança da informação, além de IA, BI, Big Data & Analytics, enfim, soluções voltadas para a inteligência do negócio e tomadas de decisão mais rápidas”, diz Fabio Martinelli, analista de pesquisa e consultoria de Software e Cloud da IDC Brasil.

Plataformas de colaboração também foram alvo de investimentos. O ERP, por exemplo, cresceu 25% apesar de já estar bastante consolidado. As soluções que antes eram vistas com finalidade de automação e relacionamento com o cliente se tornaram prioritárias. Elas passaram a permear a linha de negócios, conforme explicou Martinelli. Por sua vez, o Cloud começou a ser tratado como um habilitador para as iniciativas de modernização e digitalização. A receita do mercado de cloud pública em 2020 foi de US$ 3,02 bilhões, incluindo IaaS, PaaS e SaaS.

O mercado de software no futuro

O analista Martinelli ainda previu que a busca por mais engajamento com o cliente e o investimento em captar e reter talentos para lidar com as novas ferramentas vão continuar, aumentando a disputa pela mão de obra em TI. Em 2021, o crescimento do mercado de software já não será tão acelerado, pois as empresas não precisarão mais correr para resolver gargalos. No entanto, esse aumento continuará na casa dos dois dígitos.

No fim do ano passado, o IDC também anteviu um acréscimo de 10% no setor de telecomunicações devido o aumento dos preços dos smartphones e a chegada da 5G, em 2021. Já as vendas de equipamentos de informática vão crescer 20% com a ampliação da nuvem, o que exige um maior numero de data centers. (Com assessoria de imprensa)

PUBLICIDADE
Anterior Sicoob quer fechar o ano com mais 220 agências físicas
Próximos Para o governo, regulação vai garantir a universalidade dos Correios em caso de privatização