MCTI prepara plataforma de Open RAN em parceria com a RNP


O Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações vai criar uma plataforma Open RAN, em parceria com a Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP), como afirmou nesta quarta-feira, 22, o diretor do Departamento de Ciência, Tecnologia e Inovação Digital da pasta, José Gontijo. O projeto está avaliado em R$ 30 milhões e prevê a participação de várias universidades. 

O objetivo do projeto é implementar, de forma faseada, um ecossistema nacional voltado para o Open RAN. “Primeiro é preciso entender a tecnologia, desenvolver aplicações, entrando camada por camada até que, no fim do dia, o Brasil vai ter esse conhecimento”, disse Gontijo. 

Gontijo afirma que não há a pretensão de dominar a tecnologia, mas de preparar o país para participar do desenvolvimento de qualquer camada do Open RAN, seja por governo, pelos centros de pesquisas ou startups. Ele espera que as grandes operadoras de telecomunicações, que fazem os maiores investimentos no país, possam se interessar pelo novo projeto. 

Gontijo disse que os maiores investimentos em pesquisa e desenvolvimento no Brasil estão sendo feitos pela Lei de Informática, que injetou R$ 1,8 bilhão. Ele reafirmou que essa legislação não foi incluída no projeto de lei do governo, que visa reduzir os subsídios. “A Lei de Informática não foi incluída, mas como se trata do Congresso Nacional, é preciso manter a vigilância para que a norma não seja atingida”, disse. 

O diretor do MCTI participou do evento promovido pela Convergência Digital e Networks Eventos, sobre a Tecnologia 5G: A Inovação na Indústria 4.0. 

Anterior EUTV é o novo canal brasileiro de TV aberta
Próximos Ministro do TCU duvida que 5G seja ativado nas capitais até julho de 2022