MCTI e Finep anunciam seleção pública para financiamento de redes 5G privadas


Iot, internert das coisas. Crédito: Freepik.
Crédito: Freepik.

O Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) e a Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) anunciaram projeto para redes 5G privadas.

As duas instituições abriram conjuntamente, conforme o comunicado, “seleção pública de concessão de recursos financeiros não reembolsáveis para ICTs credenciadas junto ao Comitê da Área de Tecnologia da Informação (CATI) para o desenvolvimento de projetos de pesquisa, desenvolvimento e inovação relativos ao desenvolvimento de aplicações (plataformas e/ou softwares ou sistemas computacionais) que apoiem a implementação de novos serviços potencializados pelas características das redes 5G privadas”.

PUBLICIDADE

Serão R$ 12,5 milhões em recursos não reembolsáveis para ICTs. De acordo com o edital, serão apoiados por MCTI e Finep projetos de inovação que contemplem soluções aderentes a linhas temáticas já estabelecidas (agro, saúde, cidades inteligentes e indústria) e que cumpram os requisitos das redes 5G privadas.

Em outubro de 2021, o Finep havia comunicado que tinha R$ 400 milhões em crédito para a implantação do 5G. Eram duas linhas de crédito disponíveis, uma voltada ao financiamento de equipamentos e peças para infraestrutura, outra especialmente para implantação do 5G.

O valor das propostas para redes privadas deve ficar entre R$ 1,5 milhão e R$ 5 milhões. O prazo para envio termina no dia 29 agosto de 2022. Dúvidas e orientações sobre o edital podem ser sanadas ou obtidas pelo e-mail drin@finep.gov.br

Inteligência artificial

Em março deste ano, o MCTI já havia anunciado edital para projetos de inovação de IA em startups. Também em torno de temas definidos, os projetos de inteligência artificial serão para os setores Agro, Saúde, Indústria, Cidades Inteligentes e Turismo.

Segundo o ministério, serão destinados aos projetos de IA R$ 80 milhões em recursos de subvenção econômica.

PUBLICIDADE
Anterior Mais próximos da saturação, ISPs terão de agregar novos serviços
Próximos Telefónica é primeira telecom do mundo a ter metas Net-Zero validadas pelo SBTi