Mais uma empresa de alta tecnologia nasce do CPqD


A família CpqD, que já contava com um conjunto de seis empresas, amplia seu ecossistema com mais uma empresa de alta tecnologia. Trata-se da BrPhotonics, uma joint venture com a norte-americana GigOptix, que vai desenvolver e comercializar componentes fotônicos para sistemas de comunicação óptica de alta velocidade — acima de 100 Gbits por segundo. Com sede em Campinas (SP), a nova empresa receberá a tecnologia já desenvolvida nessa área tanto pelo CPqD como pela GigOptix, Inc., uma das principais fornecedoras de componentes semicondutores avançados de alta velocidade para uso em cloud computing e conectividade de data centers, eletrônicos de consumo e aplicações interativas, por meio de redes de comunicação óptica e sem fio.
 

A GigOptix vai transferir para o Brasil sua tecnologia Thin Film Polymer on Silicon (TFPS) – ou filme fino de polímero sobre sílicio -, bem como a linha de produção hoje instalada em Bothell, Washington. Já o CPqD transferirá para a BrPhotonics sua tecnologia de fotônica em silício (Silicon Photonics, ou SiPh), sua experiência em encapsulamento óptico e, ainda, recursos de projeto e testes nessa área. Além disso, fornecerá o espaço – dentro do Pólis de Tecnologia – para a instalação da nova empresa.

A composição acionária da BrPhotonics está dividida entre o CPqD (51%) e a GigOptix (49%). A empresa norte-americana atuará como agente de marketing e distribuidora exclusiva dos produtos da BrPhotonics no mercado global, com exceção do Brasil, onde as vendas serão realizadas diretamente pela joint venture.

PUBLICIDADE

“Estamos orgulhosos em anunciar a criação da BrPhotonics como um passo estratégico para a evolução e crescimento do ecossistema de empresas de tecnologia fotônica no Brasil”, afirma Hélio Graciosa, presidente do CPqD. “Por meio dessa nova empresa, teremos a oportunidade de levar ao mercado o que há de mais avançado em tecnologia fotônica integrada, que vem sendo desenvolvida no CPqD nos últimos anos, com o apoio do Funttel (Fundo para o Desenvolvimento Tecnológico das Telecomunicações), do Ministério das Comunicações, da Finep e do BNDES”, acrescenta Graciosa. “Esta parceria permitirá levar ao mercado mundial, de forma mais rápida e eficiente, produtos baseados nas tecnologias desenvolvidas pela GigOptix e pelo CPqD”, enfatiza Avi Katz, CEO da GigOptix. (Assessoria de Imprensa)
 

Anterior SET quer previsão de custo de adaptação de sistema de recepção no leilão de 700 MHz
Próximos Anatel decide apressar a licitação da faixa da Unicel