Mais de 58% das pessoas não conseguiram acessar serviços essenciais no lockdown


crédito: divulgação
crédito: divulgação

Estudo da Cisco sobre o impacto do acesso à internet para o crescimento econômico dos países indica que 58% das pessoas não conseguiram acessar serviços essenciais, como consultas médicas on-line e educação on-line, durante o lockdown.

O mais recente Índice de Banda Larga Cisco (Broadband Index), divulgado nesta quinta, 3, mostra também que 48% da força de trabalho global agora depende de sua internet doméstica para trabalhar em casa ou administrar seu próprio negócio. No Brasil, esse número é de 74%.

PUBLICIDADE

A pesquisa global sobre o acesso, a qualidade e o uso de broadband doméstica foi realizada pela Cisco com quase 60 mil trabalhadores em 30 países, incluindo o Brasil.

De acordo com a empresa, 75% dos trabalhadores acham que os serviços de banda larga precisam melhorar para que possam trabalhar de qualquer lugar.

No Brasil, 81% acreditam que a qualidade do acesso à internet é importante para o crescimento econômico do país; e para 78% dos entrevistados, uma boa rede é fundamental para garantir que a população esteja bem informada e bem instruída.

Exclusão digital

Além dos 58%, no mundo todo, que disseram não ter conseguido  acessar serviços essenciais da internet durante o lockdown (esse índice, só no Brasil, foi de 60%), os dados da pesquisa Broadband Index da Cisco ressaltam as preocupações com a exclusão digital. Para 65% dos entrevistados, o acesso à banda larga confiável e com preço acessível se tornará um grande problema, pois a conectividade se tornará ainda mais essencial para o acesso a oportunidades de emprego e educação.

Trabalho híbrido 

Em outubro de 2021, pesquisa da Cisco mostrava que trabalhadores  esperavam maior flexibilidade para exercer suas atividades. Mas globalmente, aponta o novo estudo, 75% dos trabalhadores acham que os serviços de banda larga precisam melhorar drasticamente para suportar o trabalho híbrido. No Brasil, essa visão é a de 82% dos entrevistados.

Na média global, quase oito em cada 10 trabalhadores (78%) entrevistados afirmam que a confiabilidade e a qualidade das conexões de banda larga são importantes para eles, enquanto no Brasil esse número aumenta para 82%.

A dependência do acesso à internet de alto desempenho é ressaltada pelo fato de que oito em cada 10 entrevistados (84%), sendo 88% no Brasil, usam ativamente sua banda larga em casa por quatro horas ou mais por dia. Enquanto isso, três ou mais pessoas usam a internet ao mesmo tempo em 60% dos lares.

Por conta disso, quase metade dos entrevistados (44%) planeja atualizar seu serviço de internet nos próximos 12 meses, no mundo. No Brasil, cerca de 4 em cada dez respondentes afirmam que seu uso de internet deve aumentar no próximo ano, e quase metade (49%) confirma que vai atualizar seu atual serviço de internet para o mesmo período.

 

PUBLICIDADE
Anterior Réplicas digitais estão em vários setores para diferentes objetivos
Próximos Ufinet desiste de projeto piloto para uso de postes em São Paulo