Mais 52 mil casas com home passed de fibra no Distrito Federal


A NWi Telecom concluiu o projeto de ampliação da sua rede de fibra óptica com tecnologia Fiber to The Home (FTTH) nas regiões do Grande Colorado e Taquari, localizadas no Distrito Federal. Com um investimento alto em tecnologia, a empresa pretende proporcionar aos seus usuários mais estabilidade de sinal e velocidade de conexão, mesmo nos horários de pico.

Com essa implementação, a NWi abarcará 900 km de extensão de rede de fibra óptica de ponta na região do DF e entorno. Para o CEO da empresa, Marcos André Chaves, é importante que a empresa de telecom esteja em toda a região do Distrito Federal, garantindo assim aos usuários um serviço de qualidade, além de estimular uma futura expansão da NWi para as demais regiões do Brasil. “Nosso objetivo é expandir cada vez mais, proporcionando aos nossos clientes residenciais uma boa conectividade, velocidade e estabilidade do sinal, além de mostrar o trabalho da NWi, o que pode gerar a amplificação dos serviços nas demais localidades do país”, pontua.

PUBLICIDADE

Para a empresa o momento da expansão não poderia ser melhor, já que com a pandemia, os usuários residenciais demandaram ainda mais de um serviço de qualidade, devido a adoção do home office e as aulas remotas. “Com o aumento do uso de serviços de streaming, aulas online, trabalho remoto e vídeo chamadas, durante o isolamento social, os usuários de internet passaram a necessitar de uma conexão mais estável, o que faz da fibra óptica a tecnologia ideal para essa demanda”, afirma o CEO da NWi.

O projeto já está em funcionamento nas regiões do Taquari e Grande Colorado e a expectativa da empresa é atender a 52 mil novos assinantes. As próximas cidades a receber a rede de fibra óptica da NWi Telecom são Luziânia (GO) e Formosa (GO). A infraestrutura está na fase final de implementação. Os planos oferecidos pela empresa vão de 200 megas a 1 Giga, com valores a partir de R$119,90.(Com assessoria de imprensa)

Anterior Exército não quer o fim de regras de frequências proposto pela Anatel
Próximos É preciso regras claras e uniformes para moderação de redes sociais, diz professor da USP