Maioria dos provedores de telecom precisa se reposicionar na cadeia de valor, apura pesquisa.


 

PUBLICIDADE

O crescimento dobrado da economia digital desta década ficará concentrado nas plataformas digitais, enquanto serviços móveis devem comoditizar, indica pesquisa da IBM. Nesse contexto, 59% dos provedores de telecom de alto desempenho concordaram que precisam se tornar nuvens seguras com IA e automação.

Metade dos provedores de alto desempenho também afirmou que irá se tornar plataforma de nuvens estratégicas tendo um ecossistema com parceiros diversos. Por fim, 66% deles se posicionaram como líderes no fornecimento de software para parceiros.

Os dados pertencem à pesquisa O fim dos provedores de serviços de comunicação como conhecemos. O estudo entrevistou 500 CEOs de companhias de telecomunicações, inclusive do Brasil e outros países da América Latina. Um dos objetivos era avaliar a sustentabilidade dos modelos de negócios de operadoras, diante da plataformização.

De acordo com a pesquisa, para maiores crescimentos, as telcos devem buscar novas competências e se reposicionar na cadeia de valor. Um dos espaços em que os provedores de telecom mais possuem potencial para florescer são as plataformas de economia, impulsionadas pela 5G. Isso porque as provedoras de telecom possuem experiência, pontos de presença, sistema de empresas, dados exclusivos e confiança do consumidor.

Apesar disso, a pesquisa afirma que essas empresas estão se movendo muito devagar e maioria ainda não desenvolveu um modelo de negócios 5G baseado nos casos de uso da tecnologia. Pelo contrário, a maioria das empresas entrevistada relatou abordagem de aplicações conservadoras. Um indicativo disso é que a vasta maioria das telcos disse que não haverá serviços viabilizados unicamente pela 5G. 93% comentaram que haverá uma melhoria no serviço com a passagem da quarta para a quinta geração.

A pesquisa também indicou que as expectativas para a chegada da quinta geração estão altas. No total, 91% dos entrevistados relataram que esperam superar suas metas financeiras atuais em cinco anos, como resultado do uso de edge computing.

No entanto, mostraram relutância em fechar parcerias com provedores de nuvem. 74% das operadoras de melhor desempenho acreditam que parcerias com web scalers para edge computing habilitada para 5G,  beneficiaria principalmente os interesses estratégicos dos webscalers.

 

Anterior Produtoras se unem para combater pirataria na distribuição de conteúdo
Próximos ISPs precisam ir além da expansão da fibra e inovar