Maioria das grandes empresas brasileiras sofreu ataque cibernético em 2 anos, diz pesquisa


PUBLICIDADE

A Tenable publicou um estudo que revelou que a grande maioria das organizações brasileiras (96%) sofreu um ataque cibernético que afetou o negócio nos últimos 12 meses, segundo executivos de negócios e de segurança. Os dados são extraídos do relatório “The Rise of the Business-Aligned Security Executive”, um estudo encomendado à Forrester Consulting pela Tenable com mais de 800 líderes globais de negócios e de segurança cibernética, incluindo 59 entrevistados brasileiros.

À medida que os criminosos cibernéticos continuam seus ataques, 67% dos entrevistados no Brasil testemunharam um aumento drástico no número de ataques que afetaram o negócio nos últimos dois anos. Infelizmente, esses ataques tiveram efeitos prejudiciais, com organizações relatando perda de produtividade (46%), perda ou roubo financeiro (33%) e perda de dados de funcionários (32%). Em torno de 53% dos líderes de segurança no Brasil afirmam que esses ataques também atingiram ambientes de tecnologia operacional (OT).

Contudo, apenas quatro em cada dez líderes locais de segurança afirmam poder responder à pergunta fundamental “Qual é o nosso nível de segurança?” com um alto nível de confiança, apesar da prevalência de ataques cibernéticos que afetaram o negócio.

A pesquisa constatou também que, em todos os países pesquisados, embora 96% dos entrevistados tenham desenvolvido estratégias de resposta à pandemia da COVID-19, 75% dos líderes de negócios e de segurança admitiram que suas estratégias de resposta estavam apenas “um pouco” alinhadas.

A pesquisa

A Forrester Consulting conduziu uma pesquisa on-line com 416 executivos de segurança e 425 executivos de negócios, além de entrevistas por telefone com cinco executivos de negócios e de segurança, para examinar estratégias e práticas de segurança cibernética em médias e grandes empresas na Alemanha, Arábia Saudita, Austrália, Brasil, EUA, França, Índia, Japão, México, Reino Unido. O estudo foi realizado em abril de 2020. (assessoria de imprensa). 

Anterior Claro, TIM e Vivo assinam termo de preferência na negociação pela Oi Móvel
Próximos Accenture compra empresa brasileira de ServiceNow