Lumen quase quadruplicou sua capacidade de rede na América Latina em 2020


A Lumen quase quadruplicou a capacidade de sua Rede de Distribuição de Conteúdo (CDN) na América Latina em 2020. A empresa fortaleceu o serviço na Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Equador, México e Peru.

PUBLICIDADE

No Brasil, a empresa acrescentou 450 km de fibra óptica entre Nordeste, São Paulo, Belo Horizonte e Rio de Janeiro.

O México foi o maior beneficiado com atuais 3.600 km de fibra, após a rede triplicar em 2020. O Equador vem em seguida, com 800 km conectando o país à Colômbia e um anel de fibra de 1000 km dentro de seu território. No Chile, os 55km de fibras ligaram 200 edifícios corporativos na Grande Santiago. Já a Argentina somou mais 180 km de rede entre as províncias de de Mendoza e San Juan.

A empresa está aumentando sua CDN com o intuito atender às crescentes demandas das emissoras globais, das plataformas de transmissão de vídeo over the top (OTT) e de empresas de jogos. A empresa também adicionou mais de 260 racks a seus data centers na Colômbia, Brasil, Peru e Argentina.

“Ampliar nossas redes na América Latina foi o que nos permitiu transitar informações sem sobressaltos pelo pico da demanda gerada pela pandemia”, afirmou Leonardo Barbero, vice-presidente sênior de produtos da Lumen LATAM.

Até setembro de 2020, a atual Lumen se chamava CenturyLink. A companhia reformulou sua estratégia comercial e começou a se posicionar como empresa de tecnologia. Com isso, ela passou a se considerar como fornecedora de uma conectividade que reúne computação de borda. (Com assessoria de imprensa)

Anterior NLT anuncia Ricardo Geoffroy como CFO
Próximos Senado aprova uso do Fust para conectar professores e alunos na pandemia