Lumen duplica número de clientes latino-americanos de Edge


Crédito: divulgação
Crédito: divulgação

Em 2021, a Lumen duplicou a quantidade de clientes latino-americanos que contrataram serviços Edge Computing, em relação ao ano anterior.

Segundo Leonardo Barbero, vice-presidente sênior de produtos e gestão de acesso da Lumen na América Latina, é possível notar um interesse crescente em diferentes indústrias, particularmente naquelas em que a latência é algo crítico, como as de entretenimento, criação de conteúdo, comércio eletrônico e provedores de serviços de nuvem pública,

PUBLICIDADE

Ao longo de 2021, a empresa, que no ano passado lançou serviço de nuvem híbrida em parceria com a IBM, continuou com seu plano de investimentos precoces e constantes para expandir suas redes e intensificou a ampliação dos data centers regionais, incluindo as instalações de São Paulo, Buenos Aires, Quito, Cali e Lima. A capacidade instalada em toda a América Latina aumentou cerca de 12%.

De acordo com a Lumen, a capacidade da Rede de Entrega de Conteúdo (CDN) de satisfazer as crescentes demandas das empresas globais de transmissão, das plataformas de streaming de vídeo over the top (OTT) e das empresas de videogames, fornecendo aplicações web de alto desempenho, streaming de vídeo de ultra-alta definição (UHD) e downloads de jogos, já atinge 10 Tb/s. Isto significa o dobro da capacidade do pico recorde de tráfego registrado.

Foram adicionados também nodos de rede de transmissão em 15 cidades latino-americanas, a fim de oferecer mais serviços a mais usuários (cada novo nodo representa um novo mercado).

Além disso, a empresa implementou 878 quilômetros de fibra ótica, acrescentou 10 Tb/s de capacidade nas redes óticas terrestres e duplicou a capacidade de peering, o que permite o intercâmbio com outros provedores, a mais de 17 Tb/s.

Nuvem

Quatro novos centros de dados de provedores de computação na nuvem (CSP) foram interconectados, o que, segundo a Lumen, posiciona a empresa como a única a alcançar todos os data centers dos quatro grandes CSPs globais na América Latina.

Houve investimento também em segurança. A Lumen diz que aumentou os níveis de segurança nas soluções SD-WAN, implementou a estratégia SASE (a arquitetura de Secure Access Service Edge), aumentou as capacidades de Event Correlation para um melhor monitoramento de eventos, e aprofundou a proteção de aplicações e serviços com soluções WAF (Web Application Firewall).

Além disto, a fim de cumprir os mais rígidos padrões internacionais, os data centers regionais passaram com sucesso por quatro novos processos de certificação e 33 recertificações ao longo do ano.

No caso dos serviços de Voice, a Lumen ampliou sua cobertura dos serviços 2-Way Voice e PSTN Replacement, e atinge agora sete mercados on-net na região (Argentina, Brasil, Chile, Colômbia Equador, México e Peru).

Isto permite aos clientes da Lumen contar com um escopo de mais de 300 cidades e acessar serviços de numeração geográfica e toll-free, além de originação e terminação de chamadas e acesso a serviços de emergência, entre outros.

“Estamos atentos às tendências, assim nos antecipamos às necessidades e fornecemos soluções de ponta”, conclui Leonardo Barbero.

PUBLICIDADE
Anterior Indústria 4.0 e qualificação profissional em destaque no AGROtic 2022
Próximos American Tower do Brasil anuncia nova diretora de vendas e marketing