Level 3 testa aplicação de rede de microcabos em São Paulo


A Level 3 e a Furukawa começaram testes de implantação de microdutos de fibra óptica no bairro do Cambuci, em São Paulo, em setembro. O projeto piloto pretende avaliar os benefícios da tecnologia na implantação de infraestrutura de telecomunicações e dados.

Segundo a Level 3, foi possível instalar os cabos fazendo um corte de apenas 30 cm de profundidade por 3 cm de largura, o que torna a cobertura do asfalto e a finalização da obra mais simples e rápidos. Microdutos e microcabos podem ser utilizados sobre a infraestrutura já existente, substituindo cabos tradicionais e ampliando a capacidade disponível. Outra alternativa é a implantação de microcabos aéreos. A tecnologia ainda precisa ser homologada por ABNT e Anatel. Outras empresas também apostam na tecnologia no mercado brasileiro.

PUBLICIDADE

O teste de campo aconteceu em duas etapas, com abertura de calçada em uma noite e inserção do duto e cabo e recomposição da via na noite seguinte. A ação teve apoio da Associação Brasileira das Prestadoras de Serviços de Telecomunicações Competitivas (TelComp).

O uso de microcabos permitirá o desenvolvimento de novas redes por várias operadoras simultaneamente. Reuniões de trabalho foram realizadas entre operadoras, fabricantes, construtores, autoridades do governo e outros, a fim de elaborar uma metodologia de testes de performance e criar uma certificação que garanta a qualidade do microcabo, dos microdutos e de toda a operação.
A obra foi utilizou um cabo tipo Mini RA de 12 fibras ópticas, instalado em um microduto da linha Futurepath Flex (quatro vias de 12,7/10 mm de diâmetros externo/interno).

Nesta ação específica, além de Level3, participaram as empresas DitchWitch, que cedeu a máquina de corte da via; a Furukawa, fabricante dos cabos; a Duraline – Grupo Amanco/Mexichem, fabricante do microduto; e a Ômega Construções, responsável pelos trabalhos de instalação do cabo e recomposição da via.

PUBLICIDADE
Anterior Linktel chega a 4 milhões de usuários cadastrados
Próximos FCC quer flexibilizar uso de altas frequências para o 5G