Lenovo vende 18,7 milhões de smartphones entre janeiro e março


shutterstock_ isak55_economia_resultado_bolsa_de_valoresA Lenovo divulgou hoje (21) os resultados financeiros dos meses de janeiro a março. O período é o quarto trimestre fiscal de 2014 para a empresa. Nos três meses, a companhia chinesa obteve números mistos. A receita aumentou 21%, para US$ 11,33 bilhões, mas as despesas cresceram 63%, para US$ 1,65 bilhão.

O lucro líquido atribuível aos acionistas caiu 37%, ficando em US$ 100 milhões – sempre em relação ao mesmo período do ano anterior. O lucro foi impactado pela aquisição da Motorola. Não fossem as despesas contábeis derivadas da compra, os ganhos seriam de US$ 194 milhões, 23% maiores, portanto, que em igual período de 2014.

PUBLICIDADE

No resultado para os doze meses encerrados em março, a Lenovo registrou aumento de 1% no lucro distribuível a acionistas (US$ 829 milhões). A receita anual ficou em US$ 46,3 bilhões, maior 20% que em 2013. A despesa operacional novamente correu as margens, crescendo 39%, para US$ 5,57 bilhões. Mais uma vez, sentiu-se o impacto das aquisições no período. Sem elas, o lucro anual teria subido 22%, para US$ 997 milhões.

Vendas
A companhia comemorou os resultados, que considerou recordes desde sua fundação. No segmento de PCs, divulgou market share de 19,7% global, 11 pontos à frente do segundo colocado. No mercado de telefonia móvel, atingiu o volume de 76 milhões de smartphones vendidos, em doze meses. O número representa aumento de 51,8% em vendas de celulares, com soma dos resultados da Motorola apenas em dois trimestres.

A receita com dispositivos móveis, inclusive tablets, cresceu 71%, para US$ 9,1 bilhões no ano. As vendas de smartphones no quarto trimestre ficaram em 18,7 milhões, maiores 49% que um ano antes. Desse total, 7,9 milhões foram da Motorola.

Apesar disso, o segmento de PCs continua sendo as principal fonte de receita do grupo chinês. Os computadores equivalem a 64% das vendas. O restante veio dos smartphones (25%), Enterprise (9%) e outros serviços (2%), nos doze meses.

Em conferência com analistas, o CEO da companhia, Yuanqing Yang, se disse confiante em realizar o turnaround (levar do prejuízo ao lucro) a Motorola Mobility. Fará isso em um ano, e no máximo, 1 ano e meio. O executivo diz ter confiança que, até lá, a unidade de Enterprise valerá US$ 5 bilhões. Atualmente, a receita anual é de US$ 2,12 bilhões.

Anterior Paulo Breitenvieser: Novas estruturas corporativas exigem proteção dinâmica e eficaz
Próximos Gasto com infraestrutura como serviço crescerá 32,8% este ano, diz Gartner