Leilão de sobra da Anatel pode vir sem faixa de 3,5 GHz


O leilão de sobra de frequências a ser realizado ainda este ano pela Anatel poderá vir com menos frequência à venda do que o sugerido na consulta pública. Conforme técnicos da agência, existe a proposta de não colocar à venda neste momento a frequência de 3,5 GHZ, conforme havia sido proposto na consulta pública. Houve uma grande reação do mercado à inclusão dessa faixa seja por parte do grupo América Móvil (que tem satélite), seja por parte dos radiodifusores, que temem interferência sobre os serviços de TV aberta na banda C.

Houve também proposta de retirada dessa faixa por parte de alguns fabricantes, como a Qualcomm, que defende que essa decisão deva aguardar  a reunião da UIT (União Internacional de Telecomunicações), que será realizada em novembro, quando serão definidas novas frequências para a banda larga móvel. Entre as frequências em estudo pelo organismo internacional está justamente esta de 3,5 GHz, o que colocaria o Brasil em uma posição isolada, visto que estaria destinando um pedaço do espectro para a banda larga fixa.

O mais provável é que essa proposta acabe prevalecendo e sejam leiloados apenas as frequências de 1,8 GHz em FDD, de 900 MHz e de 2,5 GHz em FDD e em TDD.

PUBLICIDADE
Anterior Fust pode virar fundo não contábil usado por pequenas empresas, defende Zerbone
Próximos Groupon demite 1,1 mil no mundo