Justiça dos EUA processa AT&T-DirectTV por cartel em TV paga


Mal a AT&T anuncia a sua intenção de compra dos estúdios Time Warner, que têm pelo menos cinco canais de TV a cabo com altíssima audiência, o Departamento de Justiça norte-americano ingressa com uma ação contra a operadora e sua empresa de TV por assinatura, a DirectTV , com denúncia de cartel, por um caso que de fato ocorreu antes da fusão das duas empresas.

shutterstock_Jukree Boonprasit_abstrata_datacenterO departamento de Justiça dos Estados Unidos ingressou ontem, 2, com um processo de denúncia de cartel contra a operadora de TV paga DirecTV que teria firmado acordo com seus concorrentes para evitar que o canal que transmite jogos do maior time de baseball de Los Angeles – os Dodgers – não fosse distribuído em todo o estado da Califórnia. Embora esse acordo tenha sido feito pela operadora de cabo antes de sua aquisição pela empresa de telecom, analistas norte-americanos já veem como o primeiro recado de que a aquisição da Time Warner, no valor de US$ 85 bilhões pela AT&T, sofrerá muitos percalços.

O cartel teria sido construído junto com as operadoras Cox Communications e Charter Communications e a AT&T, que teria recusado carregar o canal SportsNetLa. A ação alega que as quatro empresas se envolveram em conduta ilegal, dividindo informações privilegiadas entre si para ganhar melhor condições de negociação com a Time Warner Cable, a detentora dos direitos do canal de TV paga. Com isso, alega o Departamento de Justiça, mais de um milhão de telespectadores do sul da Califórnia ficaram sem a chance de assistir ao time jogar.

AT&T alegou que sua decisão de não transportar esse canal se deveu ao fato de que ele iria custar mais US$ 5 a cada assinante por mês. A Cox Communications disse que toma suas decisões de maneira independente e a Charter Communications não se pronunciou. (com agências internacionais).

PUBLICIDADE
Anterior Optitel será integrada a empresa do grupo Algar
Próximos Lucro da Qualcomm aumenta 33% no trimestre