IDC prevê crescimento de 9,4% nos investimentos em TI, em 2022


Crédito: Freepik
Crédito: Freepik

O mercado latino-americano de TI apresentou um crescimento de 8,5% em 2021 e, no próximo ano, a previsão é que os investimentos aumentem em 9,4% no setor, segundo aponta a IDC, empresa de pesquisa, análise e consultoria do setor de TIC. O número é um dos destaques de uma lista de 10 previsões da empresa para os próximos anos.

Em dezembro do ano passado, a IDC havia previsto que o setor de telecomunicações, de forma geral, cresceria 10% em 2021.

PUBLICIDADE

De acordo com Ricardo Villate, vice-presidente do Grupo IDC para a América Latina, esse desenvolvimento de 8,5% em TI, em 2021, ocorreu, mesmo com a pandemia, porque a indústria de TI continua sendo um motor econômico e, inclusive, deu suporte a outras verticais para que se modificassem e impulsionassem os processos de negócios.

“Para 2022, esperamos um aumento continuado nos gastos com TI, com um crescimento médio de 9,4%, à medida que as tecnologias permitiram, modificaram e aceleraram a dinâmica de continuidade dos negócios”, afirma.

Villate aponta que, nesse mesmo contexto, e decorrente da necessidade de aproveitamento da quantidade de dados gerada, até 2023, 40% das 5.000 empresas mais importantes da América Latina terão uma arquitetura de governança de dados para viabilizar DataOps, promover engenharia de dados com base em Machine Learning, reduzir os riscos de dados e impulsionar a inovação.

Parcerias

A IDC indica que, até 2024, 1/3 dessas empresas formarão parcerias de compartilhamento de dados com partes interessadas externas por meio de ambientes seguros para aumentar a interdependência e salvaguardar a privacidade de dados e ativos de dados valiosos.

Os investimentos da América Latina em software de gerenciamento de dados, que inclui integração e inteligência de dados, administração e desenvolvimento de banco de dados, bem como sistemas de gerenciamento, crescerão a uma taxa composta de mais de 16% nos próximos cinco anos.

“A pandemia de COVID-19 mostrou que as organizações que estavam no caminho para tornarem seus negócios digitais estão sobrevivendo muito melhor, mesmo sob pressão. O sucesso não se baseia mais em imaginar como será o futuro ou na luta para se adaptar a interrupções imediatas, e, sim, em inovação contínua como resposta aos desafios e oportunidades de cada momento”, afirma Villate.

“Por outro lado, os gestores perceberam que a inovação não é apenas interna. Eles precisam estendê-la aos seus ecossistemas, incluindo parceiros de negócio”, completa.

Dez previsões

A IDC divulgou uma lista com 10 previsões para os próximos anos. O relatório apresenta as 10 principais previsões e os principais motivadores para o setor de TI nos próximos anos.

Segundo a IDC, o relatório de previsões “destaca os desafios de médio e longo prazo enfrentados pelas equipes de TI corporativa, à medida que definem, constroem e governam as tecnologias necessárias para prosperar em um mundo digital”.

Seguem as 10 previsões:

1: Até 2024, as empresas digitais permitirão experiências empáticas com o cliente e modelos operacionais resilientes, transferindo 70% de todos os gastos em tecnologia e serviços para modelos como serviço focados em resultados.

2: Até 2023, 35% das 5.000 maiores empresas da América Latina redefinirão os processos de escolha de nuvem para focar nos resultados de negócios em vez dos requisitos de TI, valorizando o acesso aos portfólios de fornecedores, do dispositivo até a borda e dos dados até o ecossistema.

3: Até 2023, 40% das 5.000 maiores empresas da América Latina usarão serviços governamentais assistidos por Inteligência Artificial ligados à nuvem para gerenciar, otimizar e proteger dados e recursos dispersos, mas 30% não atingirão o valor total devido a incompatibilidades de habilidades de TI.

4: Até 2024, 40% dos orçamentos de TI das 5.000 principais empresas da América Latina serão redistribuídos por conta da adoção de pacotes de soluções integradas “como serviço” nas áreas de segurança, plataformas em nuvem, espaço de trabalho virtual e conectividade.

5: Até 2025, os líderes do setor que enfrentarem transições sistêmicas ou obrigatórias na próxima década dobrarão seus gastos em TI para novos ambientes, mas terão dificuldades em alcançar os ganhos esperados em eficiência operacional de TI.

6: Até 2024, 50% das 5.000 maiores empresas da América Latina ganharão o dobro, em termos de retornos significativos, com os investimentos em tecnologia que melhoram as atividades de funcionários/clientes em comparação com aquelas que automatizam processos individuais.

7: Até 2025, as divergências regionais em termos de privacidade de dados, segurança e os regras de captura/uso/divulgação forçarão 90% das empresas latino-americanas a reestruturarem seus processos de governança de dados centralizados em uma base autônoma.

8: Até 2024, 40% das 5.000 maiores empresas da América Latina irão transferir metade de seus investimentos em hardware/conectividade de nova tecnologia para modernizar e redesenhar experiências pessoais de clientes e funcionários em seus próprios locais.

9: Até 2025, 40% das 5.000 principais empresas da América Latina terão equipes de sustentabilidade digital, encarregadas de avaliar, certificar e coordenar o uso de dados de negócios e sustentabilidade de TI e plataformas analíticas oferecidas por provedores de TIC.

10: Até 2025, as operações de valuation de empresas públicas serão baseadas na confiança em controles para o uso adequado/eficaz dos dados e em controles financeiros com foco no aumento de gastos com soluções baseadas em dados.

 

PUBLICIDADE
Anterior TAC da Telefônica com valor de R$ 434,1 milhões é publicado
Próximos Motorola amplia portfólio 5G com chegada do moto g71 5G