Huawei nega interesse em comprar qualquer operadora brasileira


A fabricante chinesa de smartphones e equipamentos para redes Huawei comunicou no domingo, 23, que não tem interesse algum em comprar a Oi, nem qualquer outra operadora brasileira. A empresa foi o tema de rumores publicados pelo jornal O Globo no sábado, 21.

Segundo as afirmações ali contida, a Huawei estaria alinhada com a China Mobile para a aquisição da Oi, concessionária que passa por recuperação judicial.  O jornal não explica de que forma a operação aventada seria conduzida: se através de uma joint venture, ou se a Huawei entraria apenas como fornecedora para uma Oi controlada pela China Mobile. A fabricante chinesa já é grande fornecedora da tele brasileira.

PUBLICIDADE

O Globo alega, ainda, que a China Mobile fez due dilligence da Oi há dois anos. Na época, teria concluído que seria melhor esperar a aprovação do PLC 79 no Senado, além do PGMU, antes de fazer qualquer oferta de aquisição.

Tanto o PLC 79, quanto o PGMU, reduzem a carga de investimentos obrigatórios em rede de telefonia fixa, passando a permitir aportes em banda larga e telefonia móvel. Na prática, estes textos reduzem os custos com uma tecnologia em declínio (o telefone fixo) e permitem o direcionamento para a demanda futura por banda larga, seja fixa ou móvel.

“A Huawei não tem nenhum plano ou interesse em adquirir a Oi ou qualquer outra operadora brasileira. Há mais de 20 anos no país, a empresa trabalha em parceria com todas as grandes operadoras brasileiras, fornecendo os melhores produtos e soluções para auxiliar na transformação digital do Brasil”, diz no comunicado a empresa chinesa. A China Mobile não se pronunciou.

O jornal diz que o interesse das chinesas teria relação com a guerra comercial entre Estados Unidos e China. A aquisição da Oi colocaria os chineses em um grande mercado do continente e impediria os EUA de pressionarem o governo brasileiro de banir a Huawei do mercado local devido a relevância da rede da Oi para o tráfego de dados no país.

Além de Huawei e China Mobile, os rumores também apontam que Telefônica e TIM poderiam comprar a Oi, ainda que parcialmente. Todas as empresas mencionadas negam.

Anterior 5G chegará ao campo em 2028, prevê pesquisador
Próximos Anatel aprova divisão da Algar Telecom