GVT pensa em novas aquisições


 Depois de um bem-sucedido resultado financeiro divulgado ontem, a GVT – empresa espelho em telefonia fixa e banda larga –, tem muitos planos para este ano. Conforme o vice-presidente para o mercado corporativo, Leornado Queiroz, a operadora pretende estar presente em pelo menos três novas cidades fora de sua região original (a região Centro-Sul) na …

 Depois de um bem-sucedido resultado financeiro divulgado ontem, a GVT – empresa espelho em telefonia fixa e banda larga –, tem muitos planos para este ano. Conforme o vice-presidente para o mercado corporativo, Leornado Queiroz, a operadora pretende estar presente em pelo menos três novas cidades fora de sua região original (a região Centro-Sul) na oferta de telefone residencial. Estão em estudos 22 cidades, das quais pelo menos uma será no estado de São Paulo e outra no Rio de Janeiro. No final do ano passado, a GVT entrou no mercado de Belo Horizonte.

Segundo Queiroz, a operadora irá investir este ano R$ 500 milhões de recursos próprios e mais  outros milhões, se empréstimo do BNDES for aprovado – ela pleiteia R$ 500 milhões junto ao banco. Está pedindo outros R$ 40 milhões do Fundo do Centro-Oeste, para ampliar seus investimentos na região.

PUBLICIDADE

Além de expandir a rede própria, a empresa pretende ampliar também o backbone dados em pelo menos mais cinco mil quilômetros, que serão incorporados aos 11 mil quilômetros da Geodex, recentemente adquirida pela GVT por R$ 108 milhões. Para isso, buscará promover swap de infra-estrutura (acordo de troca) com as incumbents locais, e mesmo adquirir outras empresas. “ Intelig, Global Crossing e Inmsart estão aí”, assinalou o executivo. Segundo ele, a GVT chegou a estudar a aquisição da Eletronet (que pertence às elétricas), mas descartou a idéia, devido às inúmeras pendências jurídicas que envolve a subsidiária das elétricas.

Datacenter
Conforme foi anunciado ontem na conference call, a GVT irá também este ano prestar serviços de co-location para médias e grandes empresas, e, para isso, irá construir quatro Datacenteres. O primeiro, em fase de conclusão, e que consumiu R$ 8 milhões, está localizado em São Paulo. Os outros três serão insalados no Rio de Janeiro, Curitiba e uma outra cidade ainda a ser escolhida, quando serão investidos mais R$ 8 milhões.

WiMAX

A GVT aguarda também com ansiedade a licitação da Anatel do WiMAX, e já faz testes com o equipamento nas licenças livres, de 5,8 GHz. E, segundo Queiroz, com  o WiMAX , a operadora irá disputar o serviço de banda larga móvel.

Conforme afirmou o conselheiro da Anatel, Pedro Jaime Ziller de Araujo ao Tele.Síntese Análise na semana passada, a licitação do WiMAX, que deverá ocorrer este ano, irá prever a mobilidade, o que estava proibido na licitação anterior, paralisada pelo TCU. Segundo Ziller, o Brasil vai acompanhar a decisão da UIT, que reconheceu esta como uma tecnologia de terceira geração móvel.    

PUBLICIDADE
Anterior Celulares já respondem por 83% da utilização de músicas móveis
Próximos Quatro milhões de iPhones