GSMA e O-RAN Alliance colaboram em padrão aberto para redes 5G


A GSMA e a O-RAN Alliance se uniram para acelerar a adoção de produtos e soluções OpenRAN (Open Radio Access Network) que aproveitam as novas arquiteturas, software e hardware virtualizados abertos. As organizações trabalharão com objetivo de padronizar o ecossistema de rede aberta através de um acordo com soluções para tal. Deste modo, a rede ficará mais aberta e flexível para os novos participantes no mercado.

Segundo a entidade, as operadoras de telefonia móvel estão reavaliando a maneira como suas redes são implantadas. Novas arquiteturas virtualizadas com interfaces abertas podem aumentar a eficiência de custos e permitir que elas acelerem a implantação de redes 5G.

No início do ano, a O-RAN Alliance fechou um acordo semelhante com o Telecom Infra Project (TIP).

PUBLICIDADE

O que os dados mostram 

A GSMA prevê que as operadoras investirão mais de US$ 1 trilhão nos próximos cinco anos em todo o mundo para atender clientes, consumidores e empresas.

“Quando o 5G atingir seu potencial, ele se tornará a primeira geração de redes móveis a ter um impacto maior nas empresas do que nos consumidores”, disse Alex Sinclair, diretor de tecnologia da GSMA.

Sinclair também afirma que somente no setor empresarial, serão obtidos US$ 700 bilhões de lucro com o 5G. Além disso, o aumento do ecossistema de rede aberta será essencial para atender às necessidades de cobertura e serviços das empresas na era 5G. (Com assessoria de imprensa)

Anterior CGI.br: 25 anos de gestão multissetorial da internet no Brasil
Próximos O combate às fake news deve ser com a checagem da informação, defende ABI