Grupos Band e Clarín unem-se a Telefónica e AT&T em nova organização latina


Fundadores da Organização das Telecomunicações Ibero-Americanas (foto:divulgação)
Fundadores da Organização das Telecomunicações Ibero-Americanas (foto:divulgação)

Com uma nova visão para impulsionar o desenvolvimento de conteúdos audiovisuais e o acesso à conectividade na região, através de um processo de colaboração, diálogo e ação conjunta,  30  empresas de conteúdo e telecomunicações de língua espanhola e portuguesa da comunidade ibero-americana e dos Estados Unidos se reuniram hoje em Miami, Flórida, para o relançamento da Organização das Telecomunicações Ibero-Americanas (OTI).

Sob o lema “Mais conteúdos, melhor conectividade”, nessa nova etapa da OTI foram analisados os principais objetivos da organização: promover melhores práticas regulatórias, defender a liberdade de expressão, melhorar o acesso e a conectividade para os habitantes da região e encorajar a criação de conteúdos para sua distribuição em qualquer plataforma.

Em seu pronunciamento, o presidente da OTI, Emilio Azcárraga Jean, destacou que a importância dessa associação, que aglutina, de maneira conjunta, audiências e consumidores, cerca de 500 milhões de pessoas, e receitas de mais de 127 bilhões de dólares, se deve ao fato de que “As comunicações vivem uma evolução impressionante e constante. A transformação da OTI atende à necessidade de não permanecer indiferente aos desafios e oportunidades que o novo mercado convergente oferece. A nova OTI manterá um de seus objetivos fundamentais de se dedicar, em todos os momentos e em coordenação com cada um de seus membros, à defesa da liberdade de expressão”.

PUBLICIDADE

Participaram da reunião os presidentes e principais executivos das empresas filiadas à OTI, que incluem a America TV, AT&T, Canal 13, Canal Uno TV, Caracol, Grupo Bandeirantes, Grupo Clarín, Grupo Imagen Multimedia, Grupo PRISA, izzi Telecom, Latina, Medcom, Mega, Multimedios, Radiorama, RCN, Red Uno, Sipse, Sky, TCS, Teleamazonas, Telefónica, Telemundo, Teletica, Televicentro, Televisa, TV Azteca, TVN, Unitel, Univision e Venevisión.

Anterior Inmarsat e MCN farão joint venture na China
Próximos Verizon pode comprar Yahoo?