Grupo de Singapura compra a Sigfox


A recuperação judicial da Sigfox chega ao fim com a venda da operadora de redes de internet das coisas para o grupo Unabiz, de Singapura. A Unabiz já detinha os direitos de uso da tecnologia da Sigfox no país asiático.

PUBLICIDADE

Segundo comunicado da empresa, as autoridades francesas foram unânimes em aprovar a venda. A proposta da Unabiz foi a melhor dentre as nova recebidas pelos ativos da Sigfox. Também aprovaram a oferta os administradores da empresa, o ministério público francês, os acionistas da Signfox e os representantes dos funcionários.

Haverá um processo de transição de donos ao longo das próximas semanas, pensado para preservar o funcionamento comercial da Sigfox e não afetar os clientes mundo afora.

A empresa diz que a prioridade da nova direção é dar continuidade ao negócio construído até aqui. A Unabiz se comprometeu a preservar 110 empregados dos atuais 174 da empresa vendida. Vai também avaliar iniciativas para preservar ativos e redes de missão crítica.

“Enquanto a transição de propriedade representa um novo começo para a Sigfox, a Unabiz vai garantir a soberania francesa da Sigfox”, diz o comprador Henri Bong, co-fundador da empresa de Singapura.

Famosa pela tecnologia única de conectividade de objetos com baixo consumo de energia e de dados, a Sigfox passa por alterações profundas em sua abordagem comercial. Henri Bong diz no comunicado que a ideia é manter as vendas e cumprir contratos para os próximos 12 meses. Mas além disso, a empresa passará a buscar uma “convergência” com outras tecnologias de internet das coisas.

“A nova Sigfox vai se reinventar e colaborar com outras tecnologias de comunicação IoT a fim de conquistar oportunidades”, disse. Em suma, ele diz que a empresa terá novas estratégias comerciais e nova governança, mas que vai conversar com os parceiros atuais, clientes e outras operadoras Sigfox para alinhar interesses e garantir apoio ao projeto de longo prazo que tem para a empresa.

PUBLICIDADE
Anterior TIM cobra R$ 1,5 mi para MVNO. Claro e Vivo, R$ 4 mi
Próximos TIM vai vender ou desligar 4,4 mil sites comprados da Oi Móvel