Grande extensão de cabos de telecom é roubada em SP e RS, denuncia Telcomp


A Telcomp, entidade que congrega as operadoras competitivas de telecomunicações, divulgou hoje, 4, nota, denunciando que ações de vandalismo e roubo de cabos de fios de telecomunicações se intensificaram durante o período de isolamento social, provocado pela pandemia.

“Nas últimas semanas constatamos incidentes de roubos de grandes extensões de redes aéreas na região da Consolação em São Paulo e essa semana algo de grandes proporções em Porto Alegre, o que mostra a proliferação dessas práticas por todo o país”, afirma a entidade.

PUBLICIDADE

Conforme a Telcomp, o roubo é estimulado pelo mercado negro onde esses materiais são reciclados.  “A  questão que fica é  quem alimenta este mercado gerando demanda e fomentando o crime?”, indaga a entidade.

Segundo a entidade, as redes de telecomunicações há muito tempo tem sido objeto de roubos. Cabos metálicos e de fibra óptica, cordoalhas de aço, caixas de emendas, materiais de suporte, etc.

“Além do roubo de materiais, a depredação das instalações é frequente, e as ações violentas causam incêndios, quedas de postes e ao final deixam cabos soltos jogados na rua, gerando riscos para pedestres e prejuízos para o trafego de veículos. As redes aéreas fixadas em postes das distribuidoras de energia são os alvos mais frequentes mas o roubo de cabos em redes subterrâneas já são comuns”.

Assinala que essas ações de vandalismo resultam em interrupções ou degradação de serviços de telecomunicações, e os reparos para reestabelecer os serviços geram custos elevados, e colocam enorme pressão nas equipes de manutenção para atender as emergências.

“Nesse momento de grave crise e com severo distanciamento social, as pessoas precisam mais do que nunca contar com serviços de telecomunicações confiáveis, para manterem minimamente suas atividades cotidianas”, ressalta a entidade.  (com assessoria de imprensa).

 

Anterior Amazon está em negociação com a Bharti Airtel
Próximos Telefónica testa várias aplicações no satélite LEO da Telesat