Governos pedem duas vezes mais dados sobre usuários em 2013 que em 2009


A Google atualizou no final da última semana seu relatório de transparência, no qual apresenta dados sobre pedidos de informação e de remoção de sites feitos por empresas ou governos. Segundo a empresa, governos ao redor do mundo solicitaram 100% mais dados de usuários no primeiro semestre deste ano do que no primeiro semestre de 2009.
 

A empresa frisa, ainda, que o número tende a ser maior, uma vez que diz respeito apenas às solicitações que podem ser divulgadas publicamente. Muitos pedidos feitos dentro da lei de segurança nacional dos EUA não podem ser publicados pela empresa.
 

PUBLICIDADE

Nos EUA, o número de pedidos mais que triplicou no período, saindo de 3.580 entre julho e dezembro, para 10,9 mil entre janeiro e junho de 2013. O país é o que mais faz solicitações de informações sobre usuários no mundo. Em seguida vê Índia, Alemanha, França, Reino Unido, e Brasil.
 

A empresa também atualizou os dados sobre pedidos de remoção de links a arquivos, supostamente protegidos por copyright. Apenas neste ano, a Google removeu de seus resultados de busca mais de 200 milhões de links. Ao todo, 29.434 detentores de direitos autorais pediram a remoção de links de quase 300 mil domínios.
 

Somente representantes da indústria musical de EUA e Inglaterra pediram o desaparecimento de mais de 74 milhões de URLs. O site que teve mais resultados “boicotados” foi o Filestube, de quem o Google parou de exibir mais de 7,6 milhões de links.
 

O relatório traz também dados sobre derrubada oi proibição de serviços da Google em diversos paíse. Em 2013 houve menos interrupções (18) tanto da internet quanto de serviços da empresa, mundo afora, que em 2012 (27). No Sudão, a internet foi cortada, aparentemente pelo governo, em 25 de setembro e até hoje não funciona.
 

Em outros casos, sites específicos foram banidos. O Youtube, por exemplo, está vetado no Paquistão desde 2012, no Irã e na China desde 2009. Os chineses, aliás, não podem acessar também o Picasa e o Google Sites desde a mesm a época. A Turquia proibe, desde 2009, o acesso ao Google Sites. E Marrocos impede o acesso, desde o mesmo ano, ao Google Earth.
 

Ao todo, 29.434 detentores de direitos autorais pediram a remoção de links de quase 300 mil domínios. Somente representantes da indústria musicals de EUA e Inglaterra pediram o desaparecimento de mais de 74 milhões de URLs. O site que teve mais resultados “boicotados” foi o Filestube, de quem o Google parou de exibir mais de 7,6 milhões de links. (Fonte: Arede)
 

PUBLICIDADE
Anterior Espionagem: ONU pode votar proposta Brasil/Alemanha na semana que vem
Próximos On Telecom contrata ISPM para gestão de serviços 4G