Governo e Qualcomm fazem parceria para validação de nova tecnologia de smartphone que poderá estar no mercado em 2015


A Qualcomm e o governo brasileiro, representado por três  ministérios (MDIc, MiniCom, e MCTI), assinaram dois memorandos de entendimento voltados para a indústria de semicondutores no Brasil. Em um deles, a empresa norte-americana se propõe a validar uma nova tecnologia para smartphones, conhecida como “smartphone one chip”, que se propõe a integrar vários componentes dos celulares (como filtros, amplificadores, etc) em uma única placa. O outro memorando é um acordo de cooperação entre a empresa norte-americana e o governo para elaborar políticas que consigam diminuir o déficit da balança comercial de chips brasileira.

“O déficit da balança comercial de componentes e semicondutores está aumentando de maneira exponencial, e já chega a 25 bilhões de dólares, mas há um mercado de 351 bilhões de dólares onde o Brasil precisa se inserir”, afirmou o secretário-executivo do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Ricardo Schaefer. Segundo ele, o grupo de trabalho a ser criado, que contará com a participação da Qualcomm, irá identificar as diferentes cadeias de valor deste segmento e apontar onde o Brasil poderá participar.

PUBLICIDADE

Nos segundo memorando, a empresa norte-americana se propõe a validar com dois fabricantes instalados no país uma nova tecnologia que, segundo o presidente da empresa a América Latina,  Rafael  Steinhauser, é disruptiva para a indústria de telefone inteligentes. Conforme Schaefer, com a validação desta nova tecnologia, o Brasil poderá começar a fabricar estes smartphones a partir do próximo ano. “O Brasil pode ser o primeiro a produzir com esta nova tecnologia e poderá sair na frente na exportação do produto”, afirmou.

PUBLICIDADE
Anterior NTT Docomo anuncia teste de rede 5G com seis fornecedores
Próximos Anatel marca datas das audiências sobre leilão da faixa de 700 MHz