Governo dos EUA bane WeChat e TikTok a partir de domingo


Depois de restringir as compras das operadoras de telecomunicações e banir Huawei e ZTE dos mercado local, o governo de Donald Trump, decidiu impedir que os serviços WeChat e TikTok sejam disponibilizados pelas lojas de aplicativos nos Estados Unidos. A iniciativa é mais uma da guerra comercial travada com a China, e usa como justificativa a segurança nacional.

Os apps vinham crescendo em número de usuários no país. São redes sociais e de trocas de mensagens, acessados principalmente por adolescentes. O TikTok, por exemplo, permite a publicação de vídeos curtos, boa parte dos quais são pegadinhas e exibições de passos de dança – embora haja também vídeos de comentários de teor político, como material crítico ao governo Trump.

PUBLICIDADE

Em comunicado, o Departamento de Comércio dos EUA afirmou que vai efetivar o decreto de 6 de agosto de Trump e impedir, a partir de 20 de setembro, que lojas de aplicativos, como App Store, da Apple, e Play Store, do Google, permitam o download dos apps.

O secretário de comércio do país, Wilbur Ross, alega que os apps WeChat e TikTok são utilizados pelo Partido Comunista Chinês para coletar dados pessoais dos cidadãos norte-americanos. Vale lembrar que a maior rede social do mundo é o Facebook, que reúne toda sorte de dados pessoais dos usuários, de telefone e email, a hábitos de navegação, interações interesses manifestados por cliques e visualizações.

Na nota emitida, o Departamento de Comercio afirma que a ameaça proporcionada pelos apps não é idêntica, mas similar. “Ambos coletam vasto volume de dados dos usuários, incluindo a atividade de rede, localização, navegação e histórico de buscas”, justifica. O texto afirma que as empresas são obrigadas a cooperar com os serviços de inteligência da China.

Assim, ficarão proibidas a distribuição ou manutenção do WeChat e do Tik Tok e sua atualizações futuras. Qualquer operação de transferência de dinheiro por meio do WeChat também fica vetada a partir de domingo.

Além disso, em 20 de setembro para o WeChat e em 12 de novembro, para o Tik Tok, ficam proibidos: qualquer hospedarem dos serviços e distribuição que melhorem seu funcionamento (como CDNs), qualquer acordo de trânsito de dados ou peering, e qualquer integração desses apps com outras plataformas.

No começo da semana, a dona da Tik Tok, empresa ByteDance, confirmou a preferência por vender os ativos da Tik Tok nos EUA para a gigante do desenvolvimento de software Oracle, que, inclusive, fornece sistemas de seguranças para o governo americano.

Anterior Soluções fechadas para agricultura 4.0 não terão espaço no futuro
Próximos Com parceiros, TIM abre sete lojas em SP