Google desenvolve device para realidade aumentada


Google estuda device para realidade aumentadaCrédito: divulgação
Google quer lançar device para realidade aumentada Crédito: divulgação

O Google inicia o Projeto Iris, um device que espera lançar em 2024 e que funcionaria como os próximos esforços da Meta e da Apple: câmeras voltadas para o exterior que misturariam imagens do mundo real com computação gráfica.

Esse novo aparelho teria um fone de ouvido oferece uma experiência mais imersiva que a oferecida por “óculos inteligentes” como Google Glass e avançaria no mundo da realidade aumentada. 

PUBLICIDADE

Os primeiros protótipos do projeto do Google parecem óculos de esqui sem fio e seriam alimentados por silício personalizado do Google e rodariam em seu sistema operacional Android, de acordo com o relatório da consultoria Verge. Conforme o informe, o Google já contaria com uma equipe central de cerca de 300 pessoas trabalhando no esforço, supervisionada pelo antigo executivo de AR/VR Clay Bavor.

Metaverso

Em outubro do ano passado, o Facebook, agora Meta, anunciava o seu ingresso da empresa no desenvolvimento do Metaverso, um ambiente virtual que propõe a convergência entre a realidade física e virtual. No lançamento, Mark Zuckerberg informava que “no  metaverso, qualquer pessoa será capaz de fazer quase tudo que  possa imaginar: reunir-se com amigos e família, trabalhar, aprender, brincar, fazer compras, bem como experiências completamente novas que realmente não se encaixam em como pensamos sobre computadores ou telefones hoje.

Antes mesmo de essas realidades se confirmarem, já há intensa venda de terrenos nessa nova realidade. Existem dois metaversos que estão vendendo por milhões os seus terrenos: Decentraland e o The Sandbox. No The Sandbox, por exemplo, já compraram terrenos virtuais empresas como Adidas, Atari, a série The Walking Dead e o rapper Snoop Dogg. Já o Decentraland anunciou nesta semana parcerias com o Australian Open de tênis e com a Samsung. Além das marcas famosas que já participam desses dois metaversos em blockchain, outras grandes empresas têm planos ambiciosos para essa tecnologia.

(com agências internacionais)

PUBLICIDADE
Anterior TCU mantém proibição de compra do programa espião Pegasus pelo governo
Próximos Denis Ferreira é o novo CEO do Grupo Conexão