Google apresenta Android 12 com foco em privacidade


Google

O Google apresentou hoje, 18, no evento I/O 2021 as funcionalidades do Android 12, que tem como um de seus focos a privacidade e segurança do usuário. A atualização chega no final do ano e também terá novo design, além de dar ao usuário maio capacidade de customização. A paleta de cores da tela principal, por exemplo, dita as cores dos outros elementos. Também aumentará a performance da CPU em 22% e conecta o smartphone com outros dispositivos.

PUBLICIDADE

O Android 12 traz o Painel de Controle de Privacidade, por meio do qual é possível verificar quando e quais dados pessoais foram acessados pelos aplicativos, incluindo os do Google. O smartphone também emite um sinal quando o microfone ou a câmera está sendo utilizada por algum aplicativo. Nesse caso, o usuário pode optar por desabilitar as ferramentas completamente. Além disso, a atualização conta com um núcleo privado, que fica isolado da internet.

Outra das funcionalidades do Android 12 é o Better Together que conecta o smartphone com demais dispositivos via Chrome OS. Assim, o celular pode servir de controle remoto, trocando de canais e digitando pesquisas nas Smart TVs. Também funciona como chave de carro, trancando e destrancando portas e ligando o automóvel. Esse recurso funciona por meio da conexão ultra wideband (UWD) e NFC. O usuário também pode fornecer acesso às “chaves” para outros celulares.

Segurança e privacidade

O Google anunciou aprimoramentos para a extensão Password Manager, com maior integração entre o Google e o Android. Haverá ainda o Password Alert, que notificará o usuário, em caso de senhas comprometidas. Nessas situações, ele conseguirá navegar pelo site em que a senha foi obstruída utilizando a própria extensão.

Ele também poderá deletar seu histórico de localização do Google Maps. As pesquisas feitas no Google terão uma nova opção que deleta os últimos 15 minutos de pesquisa do histórico.

Após a companhia receber diversas críticas, Jen Fitzpatrick, uma das principais engenheiras da Google, aproveitou para afirmar que a empresa traça uma linha sobre os dados que serão ou não utilizados. Esse processo envolve “constantemente tomar decisões ponderadas sobre quando, como e por que os dados são usados ​​em nossos produtos, incluindo dados usados ​​para anúncios”.

Ela afirmou que o Google não vende dados pessoais para ninguém, não utiliza conteúdos armazenados em aplicativos como Gmail e Drive para propósitos publicitários e não utiliza dados sensíveis para personalizar propagandas. 

Google Workplace

A ferramenta Smart Canvas é o próximo grande passo para o Workplace do Google. A ferramenta permitirá um “brainstorm” em tempo real, com membros do time adicionando ideias de forma simultânea no documento. A funcionalidade Mesa de Votações serve para as votações do grupo. O Google informou que as aplicações estão disponíveis apenas para clientes, mas em breve estará a mão de todos.

A empresa também aprimorou o Google Meets. Agora, os documentos do Drive terão no topo da tela uma função que já inclui a todos os colaboradores do documento em uma reunião virtual, a fim de que a equipe possa discutir enquanto edita.

A própria chamada de vídeo ganhou novos recursos e, com base em machine learning e inteligência artificial, reduzirá o ruído local e irá melhorar a iluminação das videochamadas. Também, as falas dos convidados terão legendas e tradução ao vivo.

Linguagem

Conversa de um dos engenheiros do Google com “Plutão”

Por falar em linguagem, o Google também está lançando o LaMDA, descrito pela empresa como “nosso último avanço em relação a linguagem natural. A ferramenta  foi pensada para discutir sobre qualquer assunto, simulando a fala humana, com suas expressões e conceitos. No entanto, a própria companhia informou que o LaMDA ainda comete muitos erros, como respostas sem sentido ou não manter a fluidez da conversa.

Outra questão mencionada pela Google é o fato de que o LaMDA funciona não compreende informações que chegam em diferentes formatos. Por isso, a empresa está trabalhando também em modelos multimodais, os alimentando com imagens e conceitos de viagens de estrada. Isso permitirá, por exemplo, solicitar ao Google que encontre uma rota com “belas vistas de montanhas”.

Localização

Com o novo recurso do Live Views, de navegação de realidade aumentada, os usuários poderão visualizar informações sobre determinado estabelecimento selecionando-o no mapa, como avaliações recentes, fotos e lotação. Isso é possível porque o sistema relaciona as diversas  informações no sistema com o que a câmera vê.

A empresa  também irá começar os testes para o Indoor Live View para orientação dentro de ambientes fechados, como aeroportos e shoppings. Nesta semana, os testes com as novas aplicações começaram nos principais aeroportos e estações de Zurique, uma das principais cidades da Suíça, e chegará a Tóquio, capital do Japão, no próximo mês.

Além disso, os mapas ganharão mais detalhes, como passeios e faixas de pedestre. A novidade chegará em 50 cidades diferentes até o fim deste ano. O Google Maps também irá variar seus destaques a estabelecimentos e locais para evitar excesso de informação. As ênfases poderão variar conforme o horário do dia, em que de manhã terão destaques padarias e de noite, restaurantes. O aplicativo também se baseará no histórico de navegação.

Anterior Rede neutra da American Tower oferece até 10 Gbps no acesso
Próximos Ativada rede WiFi 6 com OpenRoaming no Aeroporto Internacional de Guarulhos