Gilberto Kassab confirmado na pasta da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações


Gilberto Kassab Foto Jefferson Rudy-Agência Senado
Gilberto Kassab (Foto Jefferson Rudy-Agência Senado)

Ministro das Cidades do governo Dilma Rousseff de dezembro de 2014 a até abril passado, Gilberto Kassab foi anunciado oficialmente, na tarde de hoje, 12, como próximo ministro a comandar as Comunicações no país, que deixam de ter status de ministério e passam a ser incorporadas pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação. Como já vinha sendo ventilado pela equipe do vice-presidente Michel Temer, que hoje assumiu o cargo de presidente interino com o afastamento da presidente Dilma Rousseff, aprovado pelo Senado, o Ministério das Comunicações foi extinto em ato publicado no Diário Oficial. E suas atividades transferidas para a nova pasta.

Kassab fundou o PSD em 2011. Eleito vice-prefeito da cidade de São Paulo pelo DEM, ao lado de José Serra (PSDB), assumiu o comando da prefeitura paulista em 2006 quando o colega de chapa abandonou o cargo para concorrer a governador do estado. Foi reeleito dois anos depois, ocupando o cargo até 2012, e é investigado pelo STF por improbidade durante o período, por aumento de salários de professores sem obedecer a lei orgânica municipal, e por suposto envolvimento em fraude envolvendo a empresa Controla, que prestou serviço de inspeção veicular para o município.

O novo ministro tem 54 anos e começou a carreira política como vereador na capital paulista, pelo PL. Participou da gestão Celso Pitta, entre 1997 e 2000, ano em que foi eleito deputado federal. Cargo que ocupou, com uma reeleição, até 2004. Ele é formado em engenharia civil e economia pela USP. Enquanto deputado federal presidiu a Comissão de Ciência, Tecnologia, Informática e Comunicações, período em que se aproximou do setor de telecomunicações.

Como prefeito de São Paulo, projetou-se ao lançar a campanha da Cidade Limpa, proibindo publicidade em espaços públicos. Liberal por formação e convicção, sempre militou em partidos conservadores. É considerado um hábil negociador político. O primeiro cargo que lhe foi oferecido na formação do governo de Michel Temer foi o Ministério das Comunicações desidratado, sem os Correios e a Telebras, segundo circulou nas rodas políticas. Acabou levando muito mais: o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação e o Ministério das Comunicações, que serão fundidos.

 

Anterior TIM aposta em dados para retomar crescimento da receita
Próximos Importância do CGI foi reconhecida com o decreto, segundo conselheiro