Furukawa desenvolve soluções para M2M com tecnologia nacional


 Uma das apostas da Furukawa é o mercado de M2M (a conexão entre máquinas ou entre máquinas e pessoas ou processos), que está relacionada com a Internet de Todas as Coisas. Seja no Japão, sede da empresa, onde os desenvolvimentos estão voltados para sensores em fibra óptica, ou no Brasil, onde aguarda a aprovação da Finep para um projeto de Fiber Mesh, a fabricante de cabos e fibras se volta para inovar com soluções para M2M. “Estamos focando em soluções de fibra, porque o futuro está na fibra óptica. Acreditamos no crescimento da internet com velocidades cada vez maiores e a internet presente em todas as coisas”, disse Foad Shaikhzadeh, presidente da Furukawa Brasil, que responde também pela América Latina, na 11a Convenção Furukawa, evento que se realiza em Salvador e reúne cerca de 500 executivos de 15 países da América Latina.

No Japão, a empresa desenvolve uma fibra especial para data center, com sensor. “Com esta fibra é possível avaliar a variação térmica dentro de um data center”, explicou Foad. Segundo ele, o produto deve tornar-se comercial dentro de dois a três anos. “A fibra já está desenvolvida, mas há necessidade de inovar também na parte de conectores e dos softwares de gerenciamento, que precisam “conversar”com os outros sistemas.”

No Brasil, a Furukawa desenvolveu um projeto em seu Centro de Pesquisa de Curitiba, que aguarda, para esta semana, aprovação da Finep. “Temos uma solução de fiber mesh e apresentamos um projeto no programa Inova Telecom, para desenvolvermos uma solução de smart grid”, anunciou. Com esse dispositivo, se a malha cair, ele faz com que todo o circuito se redesenhe, de forma inteligente. “É o mesmo conceito do Wimax que funciona em rádio, só que vai funcionar em fibra. Tanto o software como as placas estão sendo desenvolvidos no Brasil”, informou Foad. Ele destacou que a empresa incluiu o projeto na Finep não pelos recursos mas pelo conceito de tecnologia local. “Defendemos esse conceito e queremos ter tecnologia local em todos os países onde temos produção”.

PUBLICIDADE

Ainda sobre M2M, Foad comentou que a Furukawa quer, além de atuar em construção de redes em fibra, ter participação também nas soluções inteligentes, com sensores, componentes, produtos que entram dentro dos carros. “Nós fazemos a fiação interna dos carros no Japão e estamos trazendo essas soluções para cá”, disse. “Os conceitos de rede e de internet vão mudar e muito”, comentou.

Para o presidente da Furukawa, as redes novas começam, em alguns casos, com soluções wireless, passam para soluções metálicas e, no fim, chegam a fibra. “Teremos sempre wireless com fibra andando juntos para o usuário final ter mobilidade. Mas a demanda por fibra vai crescer, daí a expansão dentro do Brasil e na América Latina”, disse. Foad aposta no crescimento das redes FTTx, segmento no qual a Furukawa tem mais de 80% de participação no Brasil e que deve ultrapassar o mercado de operadoras no país em dois anos, na sua avaliação. “O mercado de operadoras será apenas de cabos ópticos”, observou.

A jornalista viajou a convite da Furukawa.

 

Anterior Com unidade no México, Furukawa quer liderar na América Latina
Próximos Venda da Maroc Telecom pela Vivendi deve ser concluída dia 14