FTC emite ordem para acessar informações de utilização de dados por Big Techs


As nove companhias atingidas pela ordem terão de compartilhar informações sobre a coleta, utilização e exposição de dados pessoais, além de mostrar suas práticas de engajamento e publicidade e como elas afetam crianças e adolescentes

Redes sociais e aplicativos de mensagens instantâneas / Foto: Pixabay

A Comissão Federal de Comércio dos Estados Unidos (FTC) emitiu ontem, 14, uma ordem que visa maior transparência de dados de nove redes sociais e serviços de streaming. Essas empresas terão a obrigação de apresentar dados a respeito de como coletam, utilizam e expõe informações pessoais. Além disso, deverão divulgar suas práticas de engajamento e publicidade e como elas afetam crianças e adolescentes.

A ordem abrange as empresas Amazon, ByteDance, Discord, Facebook, Reddit, Snap, Twitter, WhatsApp e YouTube. As companhias terão 45 dias para responder a partir do dia de recebimento da ordem.

O dispositivo foi aprovado pela comissão por quatro votos a favor e um contra. Em declaração conjunta, aqueles favoráveis à medida, afirmaram que a partir da ordem poderão levantar o “capuz” das redes sociais e streamings para aprender sobre seus mecanismos. “É alarmante que nós ainda sabemos tão pouco a respeito das companhias que sabem tanto a nosso respeito”, escreveram.

PUBLICIDADE

Já Joshua Phillips, que representou o voto dissidente, declarou que é improvável que essa ordem produza as informações que público precisa e irá dividir os já escassos recursos da Comissão. Isso devido à “largura da investigação, relações tangenciais de suas partes e as dessemelhanças de seus destinatários”.

Recentemente, a FTC começou a se movimentar contra as Big Techs. Na semana passada, a Comissão e 46 estados iniciaram um processo contra o Facebook por práticas anticompetitivas a partir de aquisições de empresas como WhatsApp e Instagram.  (Com agência internacional)

Anterior Liberty mira unidades de Colômbia e Equador da Telefónica
Próximos Veja os vencedores do Prêmio Tele.Síntese de Inovação 2020