Freeddom cria solução mobile para banco nigeriano


A Freeddom, empresa de soluções mobile, firma parceria com o UBA – United Banking for Africa – para desenvolver e implementar solução mobile para transações financeiras. Esta parceria fez com que a empresa participasse de um consórcio e recebesse autorização para operar a licença de mobile payment na Nigéria a partir de abril deste ano. …

A Freeddom, empresa de soluções mobile, firma parceria com o UBA – United Banking for Africa – para desenvolver e implementar solução mobile para transações financeiras. Esta parceria fez com que a empresa participasse de um consórcio e recebesse autorização para operar a licença de mobile payment na Nigéria a partir de abril deste ano.

Apesar do aumento cada vez maior da circulação monetária no país, a população de baixa renda enfrenta dificuldades de acesso bancário, já que comprovar endereço e renda ainda é um desafio. “Ainda há um sistema de tribos muito forte na Nigéria e o êxodo rural intenso dos últimos anos levou a população a improvisar formas de transferências financeiras. É comum que o motorista do ônibus que sai da capital rumo ao interior do país, faça o papel de agência bancária e distribua o dinheiro às famílias de acordo com seu itinerário”, comenta Adeyinka Adedeji, diretor responsável pelo projeto.

PUBLICIDADE

A solução desenvolvida pela Freeddom, batizada de U-mo, está em funcionamento desde  24 de janeiro para funcionários do banco e entrará em operação em abril. Ele funciona como uma conta virtual, em que o cliente pode efetuar depósitos em uma conta simplificada, sacar dinheiro em ATMs e fazer transferências para outras pessoas, mesmo que estas não sejam clientes do UBA ou do U-MO. As transações são sempre “on time” e autorizadas pelo cliente por meio de senha pessoal criptografada e atrelada ao número do celular do cliente, garantindo rapidez e segurança para os usuários. O serviços estará disponível para as quatro operadoras locais. (Da Redação)

PUBLICIDADE
Anterior Nec firma parceria com Amsterdam Arena e Arena do Brasil
Próximos Projeto de direito à informação passa em duas comissões, mas governo terá que intervir