França e Alemanha irão investir € 17 milhões em aplicações de redes privativas 5G


França e Alemanha irão investir € 17 em aplicações de redes privativas 5G. Crédito: Freepik
Crédito: Freepik

Em parceria, França e Alemanha irão investir € 17,7 milhões para apoiar quatro projetos de desenvolvimento de aplicações de redes privativas 5G. Os projetos irão explorar a quinta geração em diferentes cenários como indústria 4.0, parques e salas de operação médica inteligentes.

“A constituição de um ecossistema soberano franco-alemão em 5G e futuras tecnologias de rede de telecomunicações desempenhará um papel fundamental para posicionar a Europa na vanguarda da inovação em 5G e suas evoluções”, disse o ministro de Finanças francês, Bruno Le Maire.

PUBLICIDADE

No ano de 2020, Alemanha e França concordaram em formar parceria para cooperação no campo da quinta geração, lançando uma chamada para que projetos inovadores se inscrevessem a fim de receber apoio dos países. 16 dos participantes dos projetos vencedores são alemães e 14, franceses.

Os finalistas da consulta tiveram a chance de mostrar seu projeto em uma conferência em 19 de janeiro deste ano. No ano passado, a operadora francesa Orange lançou com a Nokia rede privativa na fábrica da Electric Schneider , em Le Vaudreuil, na França.

Confira abaixo os projetos vencedores:

  • 5G-OPERA: o projeto pretende criar um ecossistema em rede privativa 5G com soluções de hardware e software virtualizados em ambientes virtuais;
  • 5G4BP: visa implementar uma solução para estabelecer redes 5G abertas em parques e em comunidades que ainda não tem cobertura de redes móveis;
  •  5G OR: busca viabilizar o desenvolvimento de salas de operação médica com rede sem fio, privativa e 5G. Irá também apoiar procedimentos médicos menos invasivos. A rede estará disponível nos hospitais de Berlin, Mannheim e Strasbourg.
  • 5G FORUM: a ideia consiste em desenvolver soluções sem fio 5G para salas de operações médicas. O projeto objetiva entregar soluções simples e seguras para instalação de redes e equipamentos médicos, além de ajudar cirurgiões a fazerem melhor uso das ferramentas de telemedicina. As soluções serão estadas no Hospital Universitário de Aachen e, na segunda fase do projeto, na cidade francesa Grenoble.
PUBLICIDADE
Anterior Algar lança solução IoT para maior eficiência energética nas empresas
Próximos Economia vai simplificar contratações da área de TIC