Fortinet abre seu catálogo de treinamento para segurança cibernética


Infographic vector created by Macrovector – Freepik.com

 A Fortinet irá disponibilizar gratuitamente todo o seu catálogo de treinamentos on-line. Ao todo, são 24 cursos que cobrem desde conhecimentos básicos até níveis avançados de segurança cibernética, com tópicos como Secure SD-WAN, segurança em nuvem pública e acesso seguro, entre outros. A maioria dos módulos é proveniente do currículo oficial do Network Security Expert (NSE) Institute, que anteriormente estava disponível apenas para os parceiros Fortinet.

Os cursos serão gratuitos até o fim de 2020 para ajudar a atender às necessidades de capacitação em um momento tão delicado, em que a maioria das empresas possui sua força de trabalho altamente distribuída e em modelo de home office, aumentando assim as possibilidades de ameaças cibernéticas.

Esses treinamentos também dão a estudantes e a pessoas que desejam iniciar carreira no setor a oportunidade de aprender novas habilidades ou adquirir mais conhecimentos, uma vez que existe um grande gap profissional na área. De acordo com um estudo recente da ISC2, quase dois terços das empresas pesquisadas não possuíam pessoal qualificado necessário para manter operações de segurança eficazes.

“O momento forçou muitas organizações a enfrentarem mudanças rápidas e novos riscos à medida que adotaram modelos de trabalho remotos.Como uma companhia de tecnologia e também de treinamento, disponibilizamos todo o nosso catálogo de cursos avançados gratuitamente on-line e em ritmo personalizado, para que qualquer pessoa possa expandir seus conhecimentos e habilidades”, diz John Maddison, vice-presidente executivo de produtos e CMO da Fortinet.

Os cursos podem ser realizados de acordo com a disponibilidade de tempo de cada um. Não há pré-requisitos para acompanhá-los, a não ser a fluência em inglês, idioma em que os cursos são ministrados.

Os interessados ​​em iniciar os cursos gratuitos da Fortinet podem acessar este link (assessoria de imprensa)

 

Anterior Cade já aprecia recurso da Claro contra RAN sharing entre TIM e Vivo
Próximos TCU dá mais prazo para Anatel concluir levantamento de bens reversíveis