Fiagro mobiliza parlamentares pela derrubada dos vetos presidenciais


Arnaldo Jardim: ‘Queremos agricultura que busque a inovação’

O deputado Arnaldo Jardim (Cidadania – SP), integrante da Frente Parlamentar da Agricultura, tem grandes expectativas quanto à criação de fundos agrícolas para financiar a modernização do setor. Para ele, o Fiagro fará uma revolução no campo e vai contribuir para a digitalização da agricultura.

“Queremos que o grande investidor e o pequeno possam comprar cotas, que se possa investir tanto em um armazém, numa pequena granja ou numa grande indústria de inovação”, afirmou. Ele foi um dos convidados da primeira live do AGROtic 2021, nesta segunda-feira, 3.

PUBLICIDADE

A lei do Fiagro foi sancionada no final de março, mas diferentemente dos fundos imobiliários, não permite isenção de imposto de renda sobre o investimento. Deputados já debatem a derrubada dos vetos feitos pela Presidência da República, a fim de garantir que o desconto exista. O tema já trava a pauta do Congresso.

A ideia é semelhante a outra que funcionou no setor imobiliário. “Conectividade e inovação precisam de investimento. Fiagro é mais uma opção. É semelhante aos fundos imobiliários, que pularam de 200 mil CPFs para 1,3 milhão. Teremos milhares de Fiagros, do investidor que põe seu dinheiro numa produção de suco simples ao investidor que aplica em inovação e conectividade”, finalizou.

Passos importantes

O parlamentar lembrou que, além do Fiagro, outras legislações recentes vão incentivar a modernização no campo. A criação de um fundo garantidor para o provedor de internet investir em rede e o fim da cobrança da cobrança do Fistel sobre IoT estão entre os principais feitos recentes do governo e do Congresso neste sentido.

“Queremos agricultura que busque a inovação. Estamos lutando no orçamento para que isso aconteça. Temos projetos como o Inovatec, uma rubrica orçamentária, direcionado a bioinsumos,  IoT, energias renováveis, agricultura de precisão”, elencou Jardim.

Ele contou que, como investimento em conectividade, estuda-se a possibilidade de usar recursos do Fust para levar conectividade à área rural. Além disso, defendeu que o setor necessita de um fundo garantidor, “que precisa ser disciplinado”, lembrou. A criação de tal fundo consta da nova Lei do Fust, que passou a vigorar integralmente no final de março após derrubada de vetos pelo Congresso.

Dispensar a cobrança do Fistel sobre internet das coisas, segundo o deputado, é outro fator “fundamental para ampliarmos o acesso à conectividade”.

Sobre o 5G, ele conta que estão sendo organizadas para 2022 visitas a operadoras e demonstrações em pequenas cidades do país, entre elas Guaíra (SP), “talvez até com a presença do presidente Jair Bolsonaro”, nos próximos dias.

O evento

AGROtic 2021 é  um congresso virtual promovido pelo portal Tele.Síntese e a ESALQtec. O evento reúne, de 3 a 6 de maio de 2021, os mais importantes especialistas para os debates sobre tecnologias para a produtividade e conectividade do campo. Participe gratuitamente aqui.

Anterior Ministério da Agricultura vai lançar cartilha sobre LGPD para distribuir a produtores
Próximos Vivo prevê associação de rede pública e privativa para o agronegócio com o 5G