Poderes do Céu e da Terra na festa de migração da rádio AM para FM


Rádios, AM,FM, Michel Temer
Michel Temer e D. Raymundo Damaceno, ao fundo

Sob a benção de D. Raymundo Damaceno, cardeal Arcebispo de Aparecida , o suposto  Estado laico brasileiro promoveu hoje em Brasília  a solenidade de assinatura de migração de pelo menos 244 emissoras AM para FM. Conforme o ministro da C&T e Comunicações, Gilberto Kassab, essa migração não tem apenas importância  tecnológica, mas também social, porque irá atrair mais investimentos. E passou a citar os que estavam presentes naquela solenidade, no Palácio do Planalto,  entre os contemplados com a medida- religiosos, ex-parlamentares, ministros de estados e deputados.

Segundo o presidente da Abert, Paulo Tonet, o crescimento das cidades provocou o aumento da interferência nas frequências de AM, que acabaram perdendo a competitividade, e por isso a necessidade de novas faixas. A negociação para a troca de frequências começou no governo Lula,  mas foi somente no segundo governo Dilma que se fechou acordo sobre o preço das novas frequências, cujo valor  acabou atendendo aos donos das emissoras. O teto, em sua maioria, não passa de R$ 700 mil.

Tonet aproveitou para reivindicar atenção para outra pauta que também é muita cara para as emissoras- a flexibilização da Voz do Brasil, que já tem Medida Provisória tramitando no Congresso Nacional.O presidente da Abratel – Luiz Claudio Costa, por sua vez, aproveitou o momento para também apoiar a reforma do congelamento de  gastos, e pedir as reformas trabalhistas e previdenciárias.

PUBLICIDADE

O que importa é a divulgação

O presidente Michel Temer afirmou que o  governo que  corta gastos “pode no início gerar impopularidade”, mas aquele que o faz está pensando na estabilidade futura. E ressaltou que o Brasil precisa “fundamentalmente dos meios de comunicação” e que o país vive uma plena liberdade de imprensa.

“A liberdade de imprensa traz o debate de ideias, mas  preciso que as palavras repercutam. Queremos divulgar teses. Se houver debate, tanto faz. O que importa é a divulgação ao redor do Brasil”, disse o presidente à sua seleta plateia de agraciados.

Conforme o MCTC, 1.386 emissoras de AM optaram em mudar para FM. Deste total, 438 ainda não têm o canal, pois dependem do desligamento da TV analógica.  Os canais  5 e 6 devem ser  liberados para as novas rádios FM.

Segundo Kassab, embora tenha havido o adiamento do desligamento da TV analógica de Brasília, o o governo mantém o compromisso de cumprir o cronograma da TV digital.

No mês de maio, 53 rádios AM foram as primeiras a assinar os termos de migração.

 

 

 

Anterior Mercado mundial de serviços em TI movimentará US$ 1 trilhão em 2018
Próximos Internet de 10 Gbps da Campus Party BH virá de Telebrás e CemigTelecom