Facebook remove páginas do MBL em combate a ‘fake news’


Em mais uma ação contra as chamadas “fake news”, o Facebook tirou do ar, nesta quarta-feira (25), uma rede de 196 páginas e 87 perfis brasileiros utilizados para espalhar notícias falsas ligadas a coordenadores do Movimento Brasil Livre (MBL) e ao Movimento Brasil 200, do empresário Flávio Rocha, que cogitou ser candidato à presidência da República pelo PRB. Segundo a rede social, os perfis foram removidos após uma investigação que apontou violações à política de autenticidade da plataforma.

Em comunicado, o Facebook diz que as páginas removidas “faziam parte de uma rede coordenada que se ocultava com o uso de contas falsas, e escondia das pessoas a natureza e a origem de seu conteúdo com o propósito de gerar divisão e espalhar desinformação”. A empresa disse que houve uma investigação criteriosa antes de optar pela remoção.

PUBLICIDADE

Em nota oficial, o MBL confirmou a retirada das páginas em atitude “arbitrária” da rede social. “Não bastasse isso, o Facebook também desativou algumas páginas de alcance nacional, as quais, somando mais de meio milhão de seguidores, entre informar e divulgar ideias liberais e conservadoras – o que não é crime -, também exerciam o importante papel de denunciar as ‘fake news’ da grande mídia brasileira. O caso é, pois, completamente arbitrário, irônico, mas não surpreendente”, afirma o MBL, na nota, que condena o “viés de esquerda” do dono da rede, Mark Zuckerberg.

O MBL disse que levará o caso à justiça. O Ministério Público Federal (MPF) em Goiás já cobra, em caráter de urgência, explicações do Facebook acerca da remoção de 196 páginas e 87 perfis de sua rede social. O procurador da República Ailton Benedito deu o prazo de 48 horas para que o Facebook envie a relação de todas as páginas e perfis removidos e a justificativa fática específica para a exclusão.(Com agências)

Anterior Oi firma parceria global com Huawei para atualizar infraestrutura de fibra
Próximos Pós pago garante bom desempenho da Vivo no trimestre