Eventbrite anuncia country manager para o Brasil


A Eventbrite, plataforma digital de venda de ingressos, anunciou hoje, 26, em São Paulo, a nomeação de Hugo Bernardo para comandar as operações no Brasil. Até então, os negócios locais eram conduzidos por Pablo Aquistapace, gerente geral para a América Latina.

Com a nomeação de um executivo apenas para o mercado nacional, a empresa aumenta a aposta no crescimento local. Segundo Bernardo, a meta é dobrar o número de funcionários – atualmente são 12 – e a quantidade de eventos que usam a plataforma até julho de 2017. Outro objetivo, sem prazo definido, é fazer do país um dos seus cinco principais mercados no mundo. Nas Américas, é já o segundo, atrás apenas dos Estados Unidos.

Ele diz que no Brasil acontecem 5090 mil eventos ao ano, que reúnem 202 milhões de pessoas e movimenta R$ 209,2 bilhões – cerca de 4,5% do PIB, pelos seus cálculos. “É uma oportunidade gigante para um mercado que ainda é muito fragmentado”, conta.

PUBLICIDADE

A Eventbrite concorre com outras empresas especializadas em nichos como corridas, shows e feiras, e com a startup Sympla, que recentemente recebeu aporte financeiro da Movile. A estratégia para se diferenciar reside em montar uma equipe de vendas dedicada a buscar, orientar e atender os organizadores de eventos, de preferência aqueles que fazem pequenos e médios eventos. “Nosso objetivo é ser um destino para as pessoas encontrarem um evento para ir a qualquer dia do mês e da semana”, explica Bernardo.

Nos casos de eventos gratuitos não acontece cobrança pelo uso do sistema, mas o modelo de negócio prevê uma taxa de 7,99% sobre o valor do ingresso vendido. Atualmente, metade dos eventos disponíveis são pagos. A empresa também oferece serviços de credenciamento. Lá fora, tem parceria com o Facebook – que permite a compra de ingressos pela plataforma da Eventbrite sem que seja preciso sair do aplicativo da rede social.

No Brasil, as parcerias são com fornecedores para impressão de ingressos ou e-mail marketing. Apesar de 50% do tráfego do serviço ser mobile, a empresa ainda não conversa com operadoras sobre possíveis acordos de acessos patrocinados ou zero-rating. “Precisamos de mais volume”, observa o executivo.

A empresa californiana desembarcou no Brasil em outubro passado, e desde seus serviços foram usados na organização de 30 mil eventos, que venderam ou distribuíram 1,5 milhão de ingressos. No mundo, em 2015, a Eventbrite intermediou eventos que reuniram 38 milhões de participantes, e atingiu o movimento semanal de 2 milhões de ingressos vendidos. Fundada em 2006, tem como investidores Sequoia Capital, Tiger Global e T. Rowe Price.

Anterior TIM vai reduzir R$ 4,5 bi de investimentos e gastos até 2018
Próximos TIM estuda passar a cobrar por internet após a franquia com velocidade reduzida