Estudo mostra déficits constantes do setor de TI na Balança Comercial


Em 2018, o déficit na Balança Comercial de Serviços de TI chegou ao recorde de aproximadamente US$ 600 milhões, motivado principalmente pela queda nas exportações e o aumento excessivo das importações (35%). Mas esse cenário tem sido constante desde 2014, com exceção de 2017, quando apresentou um superávit de cerca de US$ 120 milhões.

Os números são do boletim “Insight Report” – Panorama do Setor de Tecnologia da Informação e Comunicação 2020, um estudo sobre o comércio internacional de serviços de TI no Brasil. O levantamento foi divulgado pela Assespro-PR, associação que representa o setor de tecnologia no Paraná.

A entidade realizou o estudo em parceria com o Departamento de Economia da Universidade Federal do Paraná (UFPR), analisando dados disponibilizados pelo Ministério da Economia, Indústria, Comércio Exterior e Serviços entre 2014 e 2018. Entre 2014 e 2018, os maiores superávits comerciais do Brasil aconteceram em negócios com Irlanda, Chile e Colômbia.

PUBLICIDADE

Já os maiores déficits registrados aconteceram com os EUA, Reino Unido, Alemanha, Espanha e Holanda. Em relação aos países do Mercosul, em 2018 a balança comercial do Brasil foi negativa, sendo a mais significativa com a Argentina – 105 milhões de dólares. A única exceção foi o Paraguai, onde o Brasil apresentou superávit.

O relatório completo está disponível no site da Assespro-Paraná.

Anterior Galaxy A01 chega ao Brasil por R$ 1,1 mil
Próximos Abrintel pede urgência na aprovação de antenas