Estudo da Cisco mostra o futuro do trabalho moldado pela tecnologia


O relatório Cisco Connected World Technology Report (CCWTR) de 2014, conclui que as empresas atendem as demandas das Gerações X e Y (também chamada de “Millenials”) para adoção de modelos flexíveis de trabalho. As companhias afirmam que alteraram suas próprias políticas para acomodar essas mudanças de atitudes. Entre outras conclusões, o relatório também revelou que até 2020, a maioria dos profissionais das Gerações X e Y acredita que os smartphones e os “wearables” (aparelhos “vestíveis”) serão os dispositivos “conectados” mais importantes na força de trabalho, enquanto que o laptop continuará sendo o instrumento escolhido para o local de trabalho. No Brasil, mais de 55% dos profissionais da Geração Y entrevistados costumam ficar disponíveis por e-mail e telefone 24 horas por dia, sete dias por semana.

O relatório CCWTR demonstra como a tecnologia está fundamentalmente moldando o futuro do trabalho e como os dispositivos, aplicativos e soluções preferidas dessas gerações estão possibilitando novas formas de trabalho, incluindo a ascensão do estilo “Supertasker”, utilizando quatro dispositivos. A tecnologia também está possibilitando mudanças na forma como os profissionais e as empresas enxergam o trabalho remoto (44% dos profissionais “Millenials” se sentem mais produtivos no escritório), o uso de aplicativos (6 em cada 10 entrevistados preferem a caneta e o papel ao aplicativo de anotações mais moderno) e os profissionais de recrutamento de talentos globais (50% dos gestores responsáveis por contratação afirmam que contratariam por entrevistas realizadas apenas por videoconferência).

Esses resultados também oferecem informações sobre o potencial impacto dos dispositivos inteligentes, como os “wearables”, na área de TI e estrategistas, especialmente com o surgimento da Internet de Todas as Coisas (Internet of Everything – IoE), que está gerando novas formas de conectividade e mudando a comunicação da próxima geração de profissionais.

PUBLICIDADE

Como nos anos anteriores, o CCWTR revela a mentalidade, as expectativas e o comportamento da próxima geração de trabalhadores. Este ano, o estudo conta com mais informações sobre a Geração X e sobre o departamento de Recursos Humanos, e como os profissionais valorizam a sua conectividade (em comparação com necessidades físicas), como veem sua disponibilidade para comunicação de trabalho (24 horas por dia, 7 dias por semana) e como esses detalhes estão moldando o setor corporativo de TI, a política de segurança, o desenvolvimento e design de produtos, bem como a capacidade de competição das empresas.

O relatório anual Cisco Connected World Technology Report examina a relação entre o comportamento humano, a Internet e a difusão da rede. Analisar essa relação revela dados sobre como as empresas vão se manter competitivas em meio à influência das novas tendências de estilo de vida. O relatório global, baseado em pesquisas de profissionais com idades entre 18 e 50 anos, em 15 países, fornece informações sobre os desafios enfrentados pelas empresas no esforço de equilibrar a necessidade dos funcionários atuais e futuros com as necessidades dos negócios, em um contexto de crescente mobilidade, riscos de segurança e tecnologias de informação cada vez mais onipresentes.

Conclusões

De acordo com o levantamento, mais de 4 em cada 10 profissionais das Gerações X e Y, bem como cerca de 6 em cada 10 profissionais de RH, se consideram um “Supertasker” (definido como um indivíduo que pode realizar com sucesso mais de duas coisas ao mesmo tempo, e fazê-las bem). Também conclui que os profissionais de RH acreditam que os supertaskers elevam as expectativas de “alta performance” nas empresas e, sendo assim, a maioria acredita que os supertaskers são os mais adequados para uma vaga de gerência, de um colaborador individual ou uma função executiva.

Outra conclusão do trabalho da Cisco é de que metade dos profissionais das gerações X e Y acredita que o modelo Supertasking de trabalho torna um indivíduo mais produtivo. Da mesma forma, profissionais de RH (62%) acreditam, predominantemente, que os supertaskers aumentam a produtividade da empresa. Quase 2/3 dos entrevistados acreditam que até o ano 2020, Supertasking será a qualidade mais procurada por sua empresa. E ainda: a maioria indica que aprendeu a se tornar um Supertasker administrando sua própria vida, e uma grande parcela normalmente mistura as atividades de trabalho com suas atividades pessoais, especialmente os profissionais da Geração X (70%).

Cenário brasileiro

No Brasil, mais de 55% dos profissionais da Geração Y entrevistados costumam ficar disponíveis por e-mail e telefone 24 horas por dia, sete dias por semana. Enquanto 29% dos profissionais da Geração X e 27% da Geração Y utilizam os smartphone para fazer chamadas. E indica que os brasileiros utilizam entre 10 e 19 aplicativos diariamente.

Além disso, 65% de profissionais da Geração Y e 45% da Geração X utilizam o tradicional caderno e caneta para anotações. Os brasileiros preferem perder a carteira a perder o celular. 65% dos profissionais preferem trabalhar no horário comercial e ter tempo para a vida pessoal. 88% dos entrevistados são obrigados a ficar no local físico do trabalho de segunda a sexta-feira.

Outra constatação é de que 59% dos profissionais da Geração X e 55% da Geração Y não se importariam de ter o salário reduzido em troca de mais flexibilidade no trabalho. E 74% dos profissionais de RH não veem problema em contratar um novo funcionário sem ter feito entrevista pessoal.(Com assessoria de imprensa)

Anterior Estádio do Morumbi terá WiFi para 30 mil conexões simultâneas
Próximos Rede terrestre da banda larga de alta velocidade da Inmarsat é concluída