Empresas vão gastar US$ 172 bi em segurança em 2022, diz Intel


Crédito: Freepik
Crédito: Freepik

A Intel divulgou que as empresas devem gastar US$ 172 bilhões em segurança cibernética neste ano. A fabricante de semicondutores apresentou nesta quarta, 20, pesquisa global que patrocinou, do Ponemon Institute, sobre intenção de compra desse tipo de tecnologia.

De maneira geral, o estudo mostra que as organizações estão procurando fornecedores e soluções que priorizem a inovação de segurança no cenário atual de ameaças em rápida evolução.

PUBLICIDADE

A pesquisa foi realizada pelo Ponemon Institute com 1.406 indivíduos nos Estados Unidos, Europa, Oriente Médio, África e América Latina que influenciam na tomada de decisão sobre tecnologia da informação (TI) de suas organizações e sobre o investimento em tecnologias de segurança.

De acordo com o levantamento, 64% dos entrevistados dizem que suas organizações são mais propensas a comprar tecnologias e serviços de provedores de tecnologia que estão liderando a inovação.

Cerca de 36% dos entrevistados adotaram soluções de segurança assistidas por hardware e 47% dizem que suas organizações adotarão essas soluções nos próximos seis meses (24%) ou 12 meses (23%).

Desses mesmos 36% dos entrevistados que usam soluções de segurança assistidas por hardware, 85% dizem que a segurança baseada em hardware e/ou firmware é uma prioridade alta ou muito alta em sua organização. E 64% dizem que é importante que um fornecedor ofereça recursos de segurança assistidos por hardware e software.

Áreas de foco

De acordo com a Intel, as principais áreas de foco para a inovação em segurança dentro das organizações, hoje, são automação de segurança (41% dos entrevistados), segurança no nível de silício (40% dos entrevistados), migração em nuvem (40% dos entrevistados) e educação e treinamento (38% dos entrevistados).

Dentro de todo esse cenário, 53% dos entrevistados dizem que suas organizações atualizaram sua estratégia de segurança por causa da pandemia.

Para a Intel, empresa que, há dois meses, comprou a Tower Semiconductor, as principais descobertas indicam que as organizações estão procurando integrar soluções de segurança baseadas em hardware em suas estratégias de Zero Trust. Das 36% das organizações que usam soluções de segurança assistidas por hardware, 32% dos entrevistados implementaram uma estratégia de infraestrutura do Zero Trust, e 75% dos entrevistados expressaram maior interesse nos modelos da Zero Trust à medida que a pandemia continua e a força de trabalho remota cresce.

 

PUBLICIDADE
Anterior Telcomp diz que Aneel não tem competência legal para regular uso dos postes
Próximos Tim diz que elétricas devem ser cobradas por ocupação desordenada de postes