Empresas de comunicação indicam nome para conselho da ANPD


O professor de direito especializado em tecnologias e consumo, Vitor Morais de Andrade foi indicado ao Conselho Nacional de Proteção de Dados Pessoais e da Privacidade por 15 entidades de comunicação, reunidos na Coalizão das Associações de Comunicação. O nome fará parte da lista tríplice para preenchimento de uma das vagas do colegiado que dará apoio à Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD).

A coalizão reúne as entidades da radiodifusão Abert e Abratel; dos veículos de imprensa, ANJ e ANER; do setor de marketing, ABEMD; de call center, ABT; desenvolvedores de serviços digitais, a Abradi; do setor de publicidade, Abap, Fenapro e APP; pesquisa de mercado, Abep; de relacionamento com o cliente, Abrarec; de serviços estratégicos de comunicação, Abracom; do setor de marketing promocional, APRO e, por fim fim, a CNCOM, que é a confederação que representa o setor de comunicação social do país.

PUBLICIDADE

No currículo do indicado está a graduação, mestrado e Doutorado pela PUC/SP, onde é professor da Graduação nas disciplinas Direito e Tecnologia e Direito das Relações de Consumo e Coordenador do Curso de Extensão em Direito Empresarial na Economia Digital da PUC-SP. É líder do Grupo de Pesquisa CNPQ – Direito Empresarial na Economia Digital e Árbitro da Câmara de Mediação e Arbitragem do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo – CIESP.

Vitor Andrade também foi Coordenador da Graduação em Direito da PUC-SP. Tem curso de extensão em economia pela FGV/SP e Negociação pela Harvard Law School. Foi Coordenador Geral do Departamento Nacional de Proteção e Defesa do Consumidor, da Secretaria de Direito Econômico do Ministério da Justiça (DPDC/MJ). Foi Presidente da Associação Brasileira das Relações Empresa Cliente (Abrarec) e membro do Conselho de Administração da Associação Brasileira de Marketing Direto – ABEMD. É membro do Conselho de Ética do Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária – CONAR. É Conselheiro Independente no SART – Sistema de Autorregulação do Setor de Telecomunicações.

Atualmente, é sócio do escritório Morais Andrade e Advogados. Tem livros e artigos publicados sobre Direito Digital, Proteção de Dados, Sanções Administrativas e Direitos do Consumidor. Foi Coordenador da ENAJUD – Estratégia Nacional de Desjudicialização do Ministério da Justiça representando os setores Varejo e Telecomunicações (2014- 2018).

Anterior Estudos de privatização dos Correios descartam fatiamento por região e venda minoritária
Próximos Provedores regionais buscam parceiros para participarem do leilão 5G